Reunião Infarmed

Peritos querem manter matriz de risco e criar três novos níveis de restrições

Peritos querem manter matriz de risco e criar três novos níveis de restrições

Peritos defendem a manutenção da matriz de risco e a criação de três novos níveis de restrições. O Rt é de 1,11 e a variante indiana está a subir.

O presidente da República, primeiro-ministro, presidente do Parlamento e representantes de partidos estiveram, esta sexta-feira, novamente reunidos com peritos no Infarmed, para analisar a evolução da situação epidemiológica em Portugal e novas regras a adotar no verão.

Eis os pontos essenciais da reunião:

- Peritos defendem a manutenção da matriz de risco.

- Especialistas defendem uso de máscara, ventilação dos espaços e controlo de fronteiras.

- Sugerida a criação de mais três níveis de restrições: A, B e C. No nível C, a lotação dos restaurantes deve limitar-se a 25%, passando para 50% no B. O nível A é o menos restritivo e só irá requerer o cumprimento das medidas gerais de proteção.

- Na última semana, Lisboa teve três vezes mais casos do que seria esperado.

PUB

- Foram administradas, até quinta-feira, 5,2 milhões de vacinas.

- Vacinação da faixa etária dos 40 anos deverá arrancar a 6 de junho. A dos 30 na última semana do próximo mês.

- O grupo etário mais afetado é o dos "adultos jovens" (sobretudo dos 20 aos 29 anos mas também dos 30 aos 40.

- Na faixa dos 80 anos, há uma "tendência decrescente" de casos.

- A faixa etária com mais internados é a dos 40 aos 59.

- 272 pessoas foram infetadas já depois de terem sido vacinadas: 15 precisaram de internamento mas não se registou nenhum óbito.

- O Rt é, hoje, de 1,11.

- A efetividade da vacina em pessoas com 80 e mais anos foi de 80%.

- A variante britânica já representa 87,2% do total de casos em Portugal e a indiana encontra-se, agora, nos 4,6%.

- A probabilidade de morrer desceu drasticamente desde o início da pandemia.

- O medo de estar infetado e a ansiedade sobre a pandemia baixaram significativamente, revelando que, pelo menos socialmente, "o vírus tornou-se endémico".

- Há uma "franca recuperação" da confiança nos serviços de saúde desde 22 de janeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG