Primeiro-ministro

António Costa testa negativo à covid-19 e termina isolamento

António Costa testa negativo à covid-19 e termina isolamento

O primeiro-ministro testou negativo para a covid-19 no teste que realizou terça-feira e termina, esta quarta-feira, o período de isolamento profilático de 14 dias que havia sido determinado pela autoridade de saúde.

"O Primeiro-Ministro, que manteve toda a atividade executiva e a agenda de trabalho não presencial, sairá hoje do confinamento que cumpriu na Residência Oficial, em São Bento, retomando a atividade pública regular", lê-se numa nota enviada pelo gabinete de António Costa.

António Costa estava em isolamento profilático após ter estado em contacto em 16 de dezembro com o Presidente francês, Emmanuel Macron, infetado com o novo coronavírus.

Em 19 de dezembro, o primeiro-ministro foi considerado contacto com exposição de alto risco à covid-19 pelas autoridades de saúde, que determinaram que teria de cumprir um período isolamento profilático até ao final do período de vigilância ativa de 14 dias.

"Na sequência da exposição a caso de covid-19, ocorrida no dia 16/12/2020, o primeiro-Ministro, Dr. António Costa, e após avaliação de risco efetuada por Autoridade de Saúde, este foi considerado contacto com exposição de alto risco", referiu então em comunicado a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT).

Antes desta decisão, António Costa já estava em isolamento profilático preventivo, após ter estado, no Palácio do Eliseu, em Paris, com o Presidente francês.

PUB

Neste período, o chefe de Governo foi mantendo várias reuniões não presenciais por videoconferência, quer com membros do executivo, quer a nível europeu, e até participou nos tradicionais cumprimentos de Boas Festas ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

António Costa já tinha testado negativo ao novo coronavírus em 17 de dezembro, num teste efetuado no âmbito da preparação da visita, entretanto cancelada, a São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau e às tropas portuguesas no Mali e República Centro Africana.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG