Premium

Aumentam os doentes sem dinheiro para comprar medicação

Aumentam os doentes sem dinheiro para comprar medicação

Beneficiários da Abem subiram 50% entre 2019 e 2020. Rede fornece remédios gratuitos a mais de 16 mil pessoas e aos novos carenciados por causa da covid-19.

Quando o dinheiro falta para quase tudo, abandonar o tratamento que pode salvar a vida é o recurso de quem já não tem mais onde cortar. O programa Abem, da associação Dignitude em parceria com autarquias e instituições sociais, permite que mais de 16 mil pessoas de todo o país, incluindo da Madeira e dos Açores, possam adquirir a medicação sem gastar um cêntimo. Atualmente, tem 16 vezes mais beneficiários do que no ano de estreia, em 2016, e registou um aumento de cerca de 50% de julho de 2019 para este ano.

E as necessidades não estão a abrandar. Os relatos dramáticos de quem se viu subitamente empobrecido ou destituído de qualquer rendimento (por causa de lay-off, de despedimentos ou de insolvências desencadeadas pela pandemia) motivaram uma resposta imediata da Dignitude, que criou um fundo de emergência para ajudar estes novos pobres, que não cumprem os requisitos para entrarem no programa titular.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG