DGS

Casos sequenciados de varíola dos macacos pertencem a linhagem "menos grave"

Casos sequenciados de varíola dos macacos pertencem a linhagem "menos grave"

A diretora-geral da Saúde revelou que dois dos casos de varíola dos macacos já sequenciados pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge correspondem a uma linhagem do vírus existente na África Ocidental. Trata-se, segundo Graça Freitas, da menos grave.

Portugal tem, atualmente, 14 casos confirmados de Monkeypox. Espanha e Reino Unido também já reportaram infeções. Em declarações à TVI, Graça Freitas explicou que ainda não foi encontrada qualquer "relação entre os focos" nos diferentes países. Neste momento, esclareceu a diretora-geral de Saúde, os países estão "a investigar", perguntando aos infetados "se viajaram, estiveram com alguém" ou "se tiveram algum tipo de contacto comum".

"O que sabemos é que o vírus original já foi sequenciado pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge e é de uma linhagem da África Ocidental. Há vírus dos macacos em duas grandes regiões de África, à volta da bacia do Congo. O menos grave é o da África Ocidental. Já foram sequenciados hoje dois casos", explicou a diretora-geral de Saúde, enaltecendo ainda a "ótima capacidade de deteção e de investigação destas situações" no país.

"Não estou a dizer que os outros países europeus não tenham, mas em Portugal há uma grande atenção clínica para situações novas, há uma grande capacidade de notificação e há uma grande capacidade de investigação", frisou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG