Coronavírus

Conselho de Ministros volta a reunir esta noite para decidir medidas sobre Covid-19

Conselho de Ministros volta a reunir esta noite para decidir medidas sobre Covid-19

O primeiro-ministro, António Costa, informou esta quinta-feira que o Conselho de Ministros vai voltar a reunir esta noite, às 20 horas, para decidir medidas a tomar relativamente ao novo coronavírus, que já infetou 78 pessoas em Portugal.

À chegada à residência oficial de São Bento, cerca das 12.30 horas, hora prevista para receber Rui Rio, Costa anunciou, em declarações aos jornalistas, que o Conselho de Ministros está suspenso até à noite desta quinta-feira para reunir à tarde com os partidos e comunicar as medidas do plano de contingência.

O primeiro-ministro disse ainda que tem medidas preparadas, mas quer "consenso" e o Executivo volta a reunir às 20 horas para decidir as medidas a tomar, incluindo um eventual encerramento das escolas. Costa recordou que muitas escolas já optaram por fechar por precaução e por haver grande concentração de pessoas, mas explicou que tomar essa decisão apenas para mudar a concentração de pessoas para espaços mais de convívio "não resolve nada".

António Costa afirmou que não está a ser decidido "o que acontece amanhã ou depois de amanhã, mas o que pode acontecer num maior período de tempo". "Qualquer decisão não é isenta de consequências", disse ainda.

O primeiro-ministro não quis adiantar mais pormenores sobre as possíveis medidas, que irá transmitir esta tarde aos partidos.

Costa aproveitou para apelar também a quem estuda ou trabalha em entidades que encerraram devido ao surto de Covid-19 para que evitem ir para "espaços mais conviviais", como as praias, e ajudem a evitar "a difusão do vírus".

"A deslocalização do contacto do espaço educativo para outros espaços mais conviviais não resolve o fundo do problema, só deslocaliza os riscos. O apelo que faria é que todas as pessoas que estudam ou trabalham em entidades que tem sido encerradas compreendem que devem ter um esforço acrescido no seu esforço de contenção na sua circulação social", disse.

Questionado sobre se referia a praias, o chefe do Governo respondeu com um sim. "A liberdade de cada um tem que respeitar também a liberdade dos outros", sublinhou ainda.

Costa considerou ser preciso "procurar evitar essas situações de convívio" em grandes espaços e avisou: "Ninguém pense que não é pelo facto de não estar numa sala de aula e estar noutros locais de convívio que esse risco de contágio é menor."

*Com Lusa

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG