Lá Fora

Cidades alemãs lideram na partilha dos automóveis

Cidades alemãs lideram na partilha dos automóveis

A mobilidade partilhada está a crescer por todo o Mundo, com destaque para a Alemanha, o país que regista o maior aumento de utilizadores. Mas também em França, Espanha, Itália, Áustria, Polónia e Japão, o carsharing é uma aposta cada vez mais forte das empresas de aluguer de automóveis e dos próprios fabricantes.

Um estudo conduzido no ano passado pela consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC), dado a conhecer pela DriveNow, prevê que, na Alemanha, o número de utilizadores de automóveis partilhados até 2020 chegue aos 15 milhões em 2020.

Portugal não escapa a esta tendência. Dados recentemente divulgados, revelam que a DriveNow atingiu mais de 150 mil viagens na cidade de Lisboa. A um mês de celebrar o seu primeiro ano de atividade no país, a plataforma tem em média 1500 registos mensais, mas estima chegar aos 30 mil até final do próximo mês de setembro.

O serviço de carsharing chegou a Portugal em setembro de 2017, sendo Lisboa a 13.ª cidade europeia a receber a DriveNow e a primeira na Península Ibérica a ter este serviço. Segundo os responsáveis pela empresa, por cada carro de carsharing, há pelo menos seis particulares que deixam de circular nas estradas.

Paris é outro dos exemplos. A Ubeeqo, líder em carsharing na capital francesa, tem vindo a apresentar um crescimento continuado desde o lançamento em 2015 e anunciou como objetivo, a curto prazo, aumentar a frota disponível em 25% até ao mês de outubro e duplicar a frota até final do ano, incluindo 150 veículos elétricos.

"A par disto, outras alternativas de partilha, como bicicletas e motos, estão, também, a ganhar importância. O transporte público local também se tornará mais integrado aos esquemas de partilha no futuro, facilitando a migração das pessoas para mobilidade partilhada e conectada - especialmente nas cidades", antecipa a DriveNow, na divulgação do estudo.

O primeiro projeto de partilha automóvel foi iniciado na Alemanha em 1988. Hoje, 30 anos depois, mais de 2,1 milhões de clientes estão registados e existem cerca de 165 fornecedores do serviço de carsharing naquele país