Lá Fora

Cidades asiáticas revoltam-se contra turistas que mendigam na rua

Cidades asiáticas revoltam-se contra turistas que mendigam na rua

Chegam de países ocidentais, com bom poder de compra e pedem nas ruas de cidades onde o nível de vida é muito inferior, para pagarem as respetivas estadias e mesmo para comer. Em Bali, na Indonésia, as autoridades anunciaram não vão prestar assistência a quem não tenha dinheiro para continuar férias e outros governos já estão a adotar medidas idênticas.

Turistas de classe média, oriundos de países desenvolvidos, a pedir nas ruas de cidades do sudoeste asiático para continuarem viagens e custear as suas estadias. O cenário aberrante tem sido cada vez mais frequente nos últimos anos em países como Indonésia, Tailândia ou Laos, entre outros.

Perante o aumento de denúncias, o Governo indonésio anunciou há dias que vai deixar de prestar assistência a visitantes que fiquem sem meios financeiros para continuarem na ilha tropical de Bali. "Os turistas estrangeiros que ficarem sem dinheiro ou queiram passar por mendigos serão levados às suas respetivas embaixadas", alertou Setyo Budiwardoyo, funcionário do serviço de imigração.

Até agora, as autoridades indonésias cobriam as necessidades básicas de todos os viajantes em apuros, fornecendo-lhes comida e alojamento, mas, com a escalada do fenómeno, optaram por abandonar essa política.

Fotos de turistas ocidentais com cartazes onde se lê: "Volta ao Mundo/ Necessitamos dinheiro para comida" são visíveis na página "Begpackers in Asia" do Facebook. Publicações idênticas são facilmente encontradas no Instagram, acompanhadas de comentários críticos de outros turistas ou habitantes locais.

"Cidadãos ocidentais privilegiados, vivendo à custa de pessoas mais pobres no seu próprio país para que possam continuar suas férias? Estão a brincar comigo?", questiona, indignada, uma residente no Reino Unido, na página "Begpackers in Asia" do Facebook.

Os testemunhos nas redes sociais revelam ainda que, além dos cartazes a apelar à ajuda dos habitantes locais, há os que recorrem a outros esquemas como "venda de fotos e abraços".

"Fartos de abusos", alguns governos começam a adotar medidas para travar o fenómeno que alastra pelas suas cidades mais turísticas. Além da Indonésia, a Tailândia, por exemplo, anunciou recentemente que alguns visitantes terão de provar à chegada que têm pelo menos 574 euros para pagar a sua estadia. Segundo os responsáveis indonésios, a maior parte dos turistas "mendigos" vem de países como a Rússia, Austrália e Reino Unido.