O Jogo ao Vivo

SOS Floresta

Eucaliptos aumentam para 32 mil hectares

Eucaliptos aumentam para 32 mil hectares

A área de eucalipto foi a que mais cresceu em Portugal, entre 2010 e 2015. De acordo com a mais recente Carta de Uso e de Ocupação do Solo (COS), relativa àquele período, o aumento deveu-se à perda de hectares de pinheiro-bravo. As florestas de sobrado, azinheira e castanheiro também aumentaram, mas de forma residual.

Os eucaliptais aumentaram 32 mil hectares em cinco anos. Um enorme crescimento, tendo em conta que a dinâmica ocorrida entre 2007 e 2010 foi de apenas de mais seis mil hectares, aponta o COS, disponibilizado no site da Direção-Geral do Território (DGT) e ao qual o JN acedeu. Havia em Portugal, em 2015, 882 mil hectares de eucalipto. O aumento dos eucaliptos deveu-se à perda de área de pinheiro-bravo [23 mil hectares], de matos e ainda terrenos agrícolas.

A floresta de sobreiros cresceu no mesmo período sete mil hectares. De 2007 a 2010, foi apenas contabilizado mais um hectare. O sobrado ocupa 611 mil hectares. Ainda com pequenos aumentos contabilizam-se as florestas de azinheira, que ocupam essencialmente as mesmas regiões que o sobreiro - em 2010, não tinha registado qualquer crescimento face aos três anos anteriores. E em 2015 registou mais dois mil hectares do que nos cinco anteriores, totalizando agora 202 mil hectares.

O pinheiro-manso cresceu mil hectares [tem agora 202 mil], os castanheiros mais quatro mil [no total registam 58 mil de área].

Pinheiro em queda

Por outro lado, o pinheiro-bravo perdeu 32 mil hectares, desde 2010, e 43 mil em relação a 2007. Ainda assim, esta espécie continua a ser dominante, com 1,048 milhões de hectares. Os carvalhos também caíram, ainda que pouco, e compõem agora 214 mil hectares. Já o pinheiro-manso tem mais um hectare, totalizando 202 mil.

As regiões de Coimbra, Leiria, Médio Tejo, Viseu-Dão-Lafões e Alentejo Litoral são as que têm mais floresta no seu território.