Otelo Saraiva de Carvalho

Filho de vítima das FP-25: "Morreu o homem que mandou matar o meu pai"

Filho de vítima das FP-25: "Morreu o homem que mandou matar o meu pai"

Manuel Castelo-Branco, filho de uma das vítimas das FP-25, descreveu o dia da morte de Otelo Saraiva de Carvalho, este domingo, como "mais um dia de sofrimento", em que recordou a dor da morte do pai.

"Para muitos, morreu hoje o Capitão de Abril, para outros o responsável máximo do Copcoon, para mim morreu o homem que mandou matar o meu pai e mais 14 vítimas inocentes, um bebé, o Nuno de apenas quatro meses, o Henrique, o Diamantino, o Alexandre, o Álvaro, o Adolfo, o Agostinho, o Fernando, o José, o Evaristo e o Rogério", escreveu Manuel Castelo-Branco na rede social Facebook.

Manuel Castelo-Branco, ligado ao CDS-PP, onde foi um dos mais próximos da ex-líder Assunção Cristas, filho de Gaspar Castelo-Branco, diretor dos Serviços Prisionais, morto em 1986 à porta de casa, partilha que se interrogou durante muitos anos como reagiria à morte de Otelo Saraiva de Carvalho, pensando se poderia sentir "um qualquer sentimento de vingança".

"Hoje o Otelo Saraiva de Carvalho morreu, e não sinto, não fiz, nem farei nada disso. Pelo contrário - é mais um dia de sofrimento, mais um dia em que me lembro de toda a dor que este homem causou, sem que alguma vez tivesse cumprido a pena de 17 anos a que foi condenado e perdoado sem nunca se arrepender", escreveu.

"É o capítulo final de um livro de dor e sofrimento, que marcou toda a minha vida que se encerra. Que Deus lhe perdoe, o que ele nunca se arrependeu e eu não fui capaz de esquecer", concluiu.

Otelo Saraiva de Carvalho, militar e estratego do 25 de Abril de 1974, morreu este domingo de madrugada aos 84 anos, no hospital militar, em Lisboa.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG