Sondagem

Governo de Costa continua a somar avaliações positivas

Governo de Costa continua a somar avaliações positivas

Desentendimento com ministro das Finanças não causou mossa na imagem do primeiro-ministro. Residentes do Grande Porto são os mais generosos na avaliação, mostra sondagem da Pitagórica para o JN e a TSF.

António Costa continua a somar pontos entre os portugueses. A percentagem dos que aprovam a forma de governar do primeiro-ministro mantém-se nos 74%, mas há um novo salto na avaliação ao desempenho do Governo: são agora 53% os que lhe dão nota positiva (mais cinco pontos do que em abril). Apenas 10% dão nota negativa. Ao contrário, a Oposição volta a cair: são mais os que dão negativa (25%) do que os que dão positiva (24%).

A julgar pelos resultados do barómetro da Pitagórica para o JN e a TSF, o desentendimento público entre António Costa e Mário Centeno, a propósito do pagamento de 850 milhões ao Novo Banco, não afetaram a imagem do Governo. Nunca tantos avaliaram positivamente o seu desempenho - são agora mais 20 pontos percentuais do que em março, quando começavam a ser visíveis os efeitos da pandemia.

VALORIZAÇÃO MASCULINA

Esta avaliação positiva é mais acentuada entre os homens (57%) do que entre as mulheres (50%) e, naturalmente, mais entusiasmada nos eleitores do PS (77%) do que nos que votam no PSD - ainda assim, 45%, ou seja mais do que os 21% que dão negativa.

Costa está também com um pico de popularidade no Grande Porto, que é de longe a região mais positiva (65%). Sem surpresa, no que diz respeito a faixas etárias são os que têm 65 ou mais anos os mais generosos com o Governo (59% dão avaliação positiva).

PUB

Resultados em linha com as projeções eleitorais que o JN divulgou no domingo: o PS estará agora com 44,8%, e portanto no limiar de uma maioria absoluta. Sintonia, ainda, com a evolução dos resultados a uma outra pergunta que faz parte do barómetro: são agora 52% os que acham que o presidente da República deve ser mais exigente com o Governo (eram 63% em março); e 42% que acham que não há razão para mais exigência (eram 33% há dois meses).

OPOSIÇÃO NEGATIVA

Não durou mais do que um mês o relativo idílio dos portugueses com os partidos de Oposição. Depois de um saldo positivo em abril, volta ao negativo em maio: 25% dão má nota (mais quatro pontos que em abril); 24% dão boa nota (menos sete pontos que no mês passado).

Facto curioso, analisando os segmentos partidários, é que são os eleitores do PSD os mais críticos da Oposição (35% dão nota negativa), enquanto os eleitores do PS são os mais benevolentes (28% dão nota positiva). Avaliações opostas que apontam na mesma direção.

Maior exigência

Os que se destacam no pedido de mais exigência do presidente relativamente ao Governo são os eleitores da CDU (76%), os que têm entre 45 e 54 anos (69%) e os que residem nas regiões Norte e Sul (76%).

Menor exigência

Os que acham que essa exigência não se justifica são sobretudo os eleitores do PS (63%), os que têm 65 ou mais anos (60%) e os residentes do Grande Porto (51%).

Apoio juvenil

No que diz respeito à forma de governar, destacam-se os mais jovens (82%), os socialistas (94%) e os que vivem no Grande Porto (84%).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG