Exclusivo

Há mais médicos críticos da vacinação infantil e adesão nem chega a 10%

Há mais médicos críticos da vacinação infantil e adesão nem chega a 10%

Carta aberta a pedir suspensão da imunização dos 5-11 anos passa de 27 para 91 subscritores. Menos de 20 mil crianças inscritas na toma da primeira dose este fim de semana. DGS e Ordem dos Médicos garantem segurança da vacina e frisam que ainda vale a pena.

Há cada vez mais profissionais de Saúde contra a vacinação de crianças saudáveis dos 5 aos 11 anos. A carta aberta dirigida, no passado dia 26, às autoridades de Saúde a pedir a suspensão do processo de imunização daquela faixa etária passou de 27 para 91 subscritores, na esmagadora maioria médicos de várias especialidades. Hoje e amanhã, os centros de vacinação voltam a dedicar-se em exclusivo aos mais pequenos, mas a adesão para as primeiras doses está abaixo dos 10%.

Até ontem, estavam agendadas 17 mil crianças para iniciarem a vacinação, podendo chegar às 20 mil, como anunciou a diretora-geral da Saúde. De um total de 626 mil menores que compõem o grupo etário dos 5-11 anos, 301 mil já tomaram a primeira dose e cerca de 100 mil contraíram a doença nos últimos meses. Há, portanto, cerca de 225 mil crianças elegíveis para a primeira dose que podem aproveitar este fim de semana. Com uma adesão entre os 7,5% e os 8%, Graça Freitas já veio anunciar que a modalidade casa aberta (que dispensa marcação prévia) estará disponível até às 13 horas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG