Mobilidade

Homens desconfinam mais do que as mulheres

Homens desconfinam mais do que as mulheres

Os dados sobre a mobilidade da população portuguesa medidos pela consultora PSE indicam que os homens estão a desconfinar mais do que as mulheres e que o desconfinamento está a acelerar sobretudo junto das classes sociais mais baixas.

Nas duas últimas semanas, a empresa especialista em ciências de dados indica que diferença do desconfinamento entre homens e mulheres é de 8%. Nota, também, que as classes sociais mais baixas foram as que mais desconfinaram neste período.

"As classes C2 tiveram um desconfinamento três vezes superior ao das classes A/B, e cinco vezes superior ao da classe C1. De idêntica forma, a classe D teve um desconfinamento três vezes superior ao da classe C1 e quase duas vezes superior ao da classe A/B", refere, em comunicado.

PUB

Os dados apurados pela PE mostram ainda que o confinamento "está a descer há três semanas consecutivas, ainda que ligeiramente": o valor médio semanal, nos dias úteis, caiu de 51% para 48%. Durante aquele período, a mobilidade foi, em média, de 72%.

"Isto quer dizer que temos atualmente em circulação mais de 70% da população que circulava no período pré-pandemia", sublinha a empresa, que regista "uma subida paulatina da mobilidade nos dias úteis", sobretudo à sexta-feira, tendo subido dez pontos nos últimos 30 dias.

Em comparação com o confinamento do ano passado, conclui a PSE, o nível de cumprimento do segundo foi inferior em cerca de 9,3 pontos, o que corresponde quase a um milhão de pessoas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG