O Jogo ao Vivo

Comboios

Identificadas as vítimas do acidente com o Alfa Pendular em Soure

Identificadas as vítimas do acidente com o Alfa Pendular em Soure

As duas vítimas mortais da colisão ferroviária em Casalinhos, Soure, residiam no distrito de Viseu.

Carlos Santos, de 56 anos, vivia em Contenças de Cima, no concelho de Mangualde. A outra vítima mortal é Fernando Pires Oliveira, que vivia em Vasconha, Vouzela.

Os dois homens, que estavam a trabalhar para a Infraestruturas de Portugal, manobravam uma máquina reparadora de catenárias quando esta foi abalroada por um Alfa Pendular, na linha do Norte.

Para além das duas vítimas mortais, contam-se mais de 40 feridos, sete deles em estado considerado grave.

Às 23.55 horas de sexta-feira a linha férrea estava ainda cortada nos dois sentidos. Fonte da Infraestruturas de Portugal admitia, à Lusa, que os trabalhos de limpeza da via seriam "muito demorados", não arriscando uma previsão de reabertura da circulação.

O comboio seguia no sentido sul-norte com destino a Braga e o descarrilamento ocorreu após o embate entre o Alfa Pendular e uma máquina de trabalho, perto da vila de Soure, junto à localidade de Matas.

O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF) anunciou, entretanto, que vai investigar as causas do acidente.

Questionada sobre se a linha ficou danificada na sequência do acidente, a Infraestruturas de Portugal disse ainda não ser possível dizer em concreto, mas "é certo que há danos avultados".

Fonte da IP também esclareceu que a máquina de trabalho que esteve envolvida no acidente não estava a fazer "qualquer reparação na via" no momento do embate e que o veículo se estava a dirigir para "as instalações de manutenção" em Nelas, distrito de Viseu.

Pelas 00:00, fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Coimbra disse à Lusa que "todos os meios de socorro já desmobilizaram" e que no local apenas se encontram "as equipas de trabalho" da IP.

"As composições ainda se encontram na via e não há perspetiva da hora para a sua reabertura", acrescentou a mesma fonte.

Em comunicado divulgado no seu 'site', a CP garantiu que "está a ser realizado transbordo rodoviário no local da perturbação".

"Aos clientes que já tenham bilhetes adquiridos para viajar em comboios dos serviços Alfa Pendular, Intercidades, Inter-regional e Regional, a CP permitirá o reembolso no valor total do bilhete adquirido, ou a sua revalidação, sem custos", acrescentou a empresa, explicitando que os pedidos deverão ser feitos num prazo de 10 dias nas bilheteiras ou no 'site' da CP.

Também no seu 'site', a IP informa ter já iniciado uma investigação interna ao acidente e que "está a colaborar" com o GPIAAF "no apuramento das causas e responsabilidades, e agirá em conformidade com as suas conclusões", apresentando condolências às famílias dos trabalhadores que morreram.

Outras Notícias