Estado de Emergência

Saiba em que quiosques pode comprar o JN

Saiba em que quiosques pode comprar o JN

Apesar da declaração de estado de emergência em Portugal, os quiosques e outros pontos de venda de jornais continuam a funcionar, para garantir o direito à informação dos portugueses. Saiba onde pode comprar diariamente o seu Jornal de Notícias.

Consulte aqui a lista completa de pontos de venda do JN

O novo decreto do Governo que regula o estado de emergência até 17 de abril prevê, tal como já tinha acontecido entre 19 de março e 2 de abril, que os quiosques e tabacarias se mantenham abertos. O diploma considera que os jornais são um bem "de primeira necessidade" e continua a permitir a sua venda presencial.

No artigo 10.º do decreto, aprovado em Conselho de Ministros, lê-se que "são suspensas as atividades de comércio a retalho, com exceção daquelas que disponibilizem bens de primeira necessidade ou outros bens considerados essenciais na presente conjuntura". O documento elenca depois, em anexo, quais os estabelecimentos abrangidos pela exceção, numa lista que inclui "papelarias e tabacarias".

Há duas semanas, após o Conselho de Ministros que definiu as medidas do Governo para o primeiro período de exceção, António Costa tinha dito que os jornais são bens "absolutamente essenciais ao dia-a-dia das pessoas" e que, de modo a "garantir o direito à informação", as papelarias e quiosques "podem e devem manter-se abertos".

A liberdade de imprensa também não será vedada, com a permissão aos jornalistas de poderem continuar a circular e a garantia às gráficas de imprensa de poderem continuar a imprimir. Também em Itália, Espanha e em França, os quiosques foram mantidos abertos para garantir o acesso à informação em situação de estado de Emergência.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG