Páscoa

Bispo do Porto pede encerramento de supermercados ao domingo

Bispo do Porto pede encerramento de supermercados ao domingo

D. Manuel Linda pediu, na Missa de Páscoa, o fim do trabalho ao domingo, sobretudo "os supermercados e os centros comerciais". O bispo do Porto disse mesmo que existe "novo esclavagismo" laboral que prejudica a vida familiar.

"Pensemos no novo esclavagismo da laboração contínua, legalmente imposta pelos novos senhores do mundo que dominam a economia e, por esta, os governos. Pensemos como os critérios dos turnos, em setores onde, para além da ganância, nada os justifica", disse D. Manuel Linda, na homilia da missa celebrada na Sé do Porto e a que assistiram mais de uma centena de católicos.

"O mesmo se diga da abertura dos supermercados e dos centros comerciais ao domingo, expressão de um certo subdesenvolvimento humano e mesmo económico. Os países mais ricos não abrem supermercados ao domingo", afirmou.

D. Manuel Linda classificou todas estas situações como sinónimos de uma "civilização fria, sem alma, individualista", muitas vezes "de base materialista e hedonista, perdendo as marcas da herança cristã e da "cultura ocidental humanista". O responsável católico alertou para os "graves transtornos psicológicos do trabalhador e do fracionamento dos encontros familiares" que está situação provoca, falando na "morte do domingo".