Parlamento

Emília Cerqueira foi a mão que assinou presenças de José Silvano

Emília Cerqueira foi a mão que assinou presenças de José Silvano

A deputada do PSD Emília Cerqueira assumiu, esta sexta-feira, que registou a presença de José Silvano nos dias em que faltou, por necessidade de aceder a informação no computador.

A quem a acusa de querer justificar as faltas do colega de partido atirou: "são umas virgens ofendidas".

"Lamento que se tenha criado um circo mediático, pelo facto de um colega partilhar ficheiros", explicou a parlamentar, eleita por Viana do Castelo, que garantiu ter acedido ao computador para retirar documentação que necessitava. Mas também revelou: "Não só eu tenho, mas eu também tenho a password do deputado José Silvano".

Emília Cerqueira alegou que só falou esta sexta-feira para que "a situação de lamaçal (não) continue a desenvolver-se" e acusou "um bando de virgens ofendidas" que agora a acusa de saber que estaria a registar a presença do colega de bancada.

Ao JN, na quarta-feira, confrontada com as imagens que o grupo parlamentar do PSD teria, onde surgia no computador em que fora feito o registo de José Silvano, Emília Cerqueira não só desmentiu que tivesse assinado em nome do dirigente social-democrata, como alegou que o acesso ao computador do Parlamento durante as sessões não servia para validar a presença de um deputado. Algo que não corresponde à verdade.

"Assumo mas não a pedido de ninguém", garantiu, numa conferência de imprensa no Parlamento. "Só entendo isto como um ataque direto à direção do dr. Rui Rio. Parece que, desde que o dr. Rui Rio está à frente do PSD, tudo está errado e tudo está mal", acrescentou, com uma voz trémula.

Apesar de os deputados saberem que, assim que começa a sessão plenária qualquer acesso ao computador ligado ao terminal serve como registo de presenças, Emília Cerqueira referiu que não sabia que estava a registar Silvano: "Tê-lo-ei feito inadvertidamente mas não o fiz conscientemente".

Na versão da deputada, que foi eleita em 2015, só "hoje tem a noção clarinha" das regras de acesso ao computador em pleno plenário, como prova de assiduidade. "Na altura, quando estamos a trabalhar e estamos preocupados com aquilo que temos que fazer - os senhores [jornalistas] partem do princípio que temos uma reserva mental à partida para todas as nossas atitudes, se calhar têm isso em Lisboa, como sou do Alto Minho, não o tenho -, pensei: 'preciso de trabalhar, preciso de consultar este ficheiro e fi-lo'".

Segundo a parlamentar, esta não foi a primeira vez que acedeu ao "username" de Silvano e que é habitual os deputados saberem as "passwords" uns dos outros.

Na origem desta polémica está o facto de as presenças de Silvano em dois plenários parlamentares, a 18 e 24 de outubro, terem sido validadas por alguém que teve acesso à sua password e que até esta sexta-feira não se sabia quem era.

ver mais vídeos