O Jogo ao Vivo

Premium

Estado faz quase 80% das compras em Lisboa

Estado faz quase 80% das compras em Lisboa

Estudo da Associação Comercial do Porto propõe a revisão do modelo das aquisições públicas e a deslocalização das entidades reguladoras e tribunais.

Quase 80% das compras de bens e serviços do Estado são feitas na Área Metropolitana de Lisboa. Os municípios têm fornecedores mais distribuídos pelo país e conseguem poupanças maiores, mas, ainda assim, 40% dos negócios foram fechados com empresas da Região de Lisboa. A Associação Comercial do Porto (ACP) propõe a revisão do modelo das compras públicas, a deslocalização das entidades reguladoras de Lisboa para outras regiões, num plano a implementar em dez anos, e a criação de um centro de competências da justiça em Coimbra.

As propostas resultam do estudo da Universidade do Minho, coordenado pelo investigador Fernando Alexandre, sobre assimetrias e convergência regional. O trabalho, elaborado a pedido da ACP e que será apresentado na terça-feira, reflete que o centralismo está presente até no local onde se fazem as compras para as entidades públicas. Ao privilegiar os fornecedores instalados na capital, o Estado está a induzir o "crescimento da região mais rica do país", advertem os investigadores, sublinhando que a política de aquisição de bens e serviços é um "importante instrumento" para o combate ao desemprego, o estímulo à inovação e a "promoção de oportunidades para as pequenas e médias empresas".