Polémica

Estudantes e docentes do ISCTE aconselhados a bater em boneco negro

Estudantes e docentes do ISCTE aconselhados a bater em boneco negro

Os estudantes e docentes do ISCTE, em Lisboa, foram, esta terça-feira, desafiados a destressar. Uma empresa colocou ali uma figura humana negra, com um bastão ao lado, e a frase "bate-me".

Devido à polémica, na tarde desta terça-feira, a organização já retirou entretanto a imagem, apurou o JN.

Tratou-se de um boneco negro, colocado nos corredores do ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa pela empresa Smash It Room, com um pequeno cartaz preso no pescoço com o apelo "hit me now" [bate-me agora, em português]. Junto à figura estava um bastão.

Ao que tudo indica, já ali se encontrava há dois dias, a contar com esta terça-feira, inserido no Marketing Journeys, organizado pelo NAMI - Núcleo de Alunos de Marketing do ISCTE-IUL.

Confrontada pelo JN, a reitoria liderada por Maria de Lurdes Rodrigues recusou tecer qualquer comentário sobre o assunto.

Marta Inácio, porta-voz da organização, garantiu que "o boneco em causa não é negro, ficou escuro pelos choques". A estudante, que criticou a polémica gerada, assegurou que a figura é "propriedade da empresa Smash It, que se está a lançar e conta com produtos como este, que ajudam a descomprimir".

"O Marketing Journeys já está na sua oitava edição e não gostaríamos que fossemos alvos de uma notícia que tivesse como destaque um boneco anti-stress", referiu a responsável, que recusou responder porque motivo a organização não impediu a colocação de um exercício de descompressão que consiste em usar um bastão contra um boneco negro.

Ao JN, Gonçalo Reis, outro dos membros ligados ao NAMI, reforçou que "nunca foi intenção causar polémica com o facto deste boneco estar escuro".

Miguel Vale de Almeida, docente da instituição, numa publicação no Facebook onde partilhou a imagem do boneco, classificou o cenário de"pura e simplesmente inaceitável".

Para o conhecido antropólogo, investigador e ex-deputado, "tanto os organizadores dum evento na área do marketing, quanto a empresa que fornece objetos para alívio do stress (ou lá o que é) demonstram uma escolha ou ignorância inadmissíveis".

Vale de Almeida considerou uma "vergonha" o ocorrido, até tendo em conta que "ainda ontem o evento Academia, que recebe alunos do 12º ano, consistiu na apresentação pelos vários departamentos de ciências sociais, da forma como as diferentes disciplinas ajudam ao combate ao racismo".