Evento

Extrema direita reúne em segredo em Fátima

Extrema direita reúne em segredo em Fátima

A GNR mobilizou cerca de 200 militares para evento privado, onde está o primeiro-ministro da Hungria.

A segurança dos participantes numa conferência organizada pela International Catholic Legislators Network (ICLN), entidade promotora dos valores cristãos na política, a decorrer desde quinta-feira, em Fátima, e sem divulgação pública, está a ser assegurada por cerca de 200 militares da GNR. Viktor Órban, primeiro-ministro húngaro, e Mick Mulvaney, chefe de gabinete do presidente dos EUA, são alguns dos participantes no encontro, conotado com a extrema-direita, que termina hoje.

"A GNR destacou para o local o efetivo considerado adequado, face ao evento, às entidades presentes e ao grau de ameaça definido pelas autoridades competentes", revelou ao JN o diretor de Comunicação e Relações Públicas, major Ribeiro. Contudo, escusou-se a dar mais informações.

O JN questionou o Ministério da Administração Interna por que razão a segurança dos participantes num evento privado foi garantida por militares da GNR e quais os custos associados a esta operação, uma vez que a deslocação de personalidades internacionais, como Viktor Órban, não se integrava numa visita oficial, mas não obteve resposta. Já o Ministério dos Negócios Estrangeiros diz que o encontro "não se enquadra em matérias da sua competência".

O semanário Sol cita a imprensa alemã para dar conta que o arcebispo de Viena, e um dos fundadores do ICLN, Christoph Schönborn, e os patriarcas da igreja ortodoxa e da igreja católica na Síria, Ignatius Aphrem II e Yousef III Younan, também estão no evento, a decorrer no Hotel da Consolata, uma congregação de missionários, a poucos metros do Santuário de Fátima.

Fonte do Santuário confirmou que, no âmbito das celebrações particulares, o ICLN reservou a Basílica Nossa Senhora do Rosário de Fátima, para realizar uma eucaristia na quinta-feira, mas garantiu que "o Santuário não tem qualquer ligação ao grupo e que nenhum membro do Santuário participou na celebração". Outra fonte, ligada à Opus Dei, diz que "não haverá nenhum participante português" no encontro.

Designado como International Pilgrimage for Politicians, o evento promovido pelo ICLN é considerado, num vídeo promocional, como "histórico", ao reunir líderes políticos e religiosos de todo o mundo, em Fátima, entre os dias 22 e 25 de agosto. É prometida ainda uma experiência de mudança de vida com líderes cristãos.

Fundado em 2010, em Viena, o ICLN assume-se como uma organização privada, independente e sem ligações a partidos, destinada a juntar políticos católicos e cristãos, que defendam a fé, a educação e a irmandade. Contudo, alguns participantes no encontro têm conotações à extrema direita, como é o caso do primeiro-ministro húngaro, cujo partido Fidesz foi suspenso do Partido Popular Europeu, em março, com 190 votos a favor e três contra.

Desde que Órban foi eleito chefe de Estado, em 2010, a Comissão Europeia instaurou dezenas de processos contra a Hungria por incumprimento das regras europeias, nos mais variados domínios. O primeiro-ministro é conhecido ainda pela sua política anti-migração, perseguição a minorias, censura aos media, violações do estado de direito e irregularidades na justiça.