Manifestações

Milhares de alunos em greve para defender o ambiente

Milhares de alunos em greve para defender o ambiente

Em mais de 30 localidades portuguesas, são esperados milhares de estudantes que deverão faltar às aulas, hoje de manhã, e juntar-se às manifestações em defesa do ambiente, à semelhança do que está previsto em mais de cem países. O movimento global "SchoolStrike4Climate", criado pela jovem sueca Greta Thunberg, exige medidas em defesa do clima.

Os organizadores da greve estudantil climática em Portugal comunicaram que a manifestação é pacífica e que é importante os participantes darem o exemplo durante o protesto, não deixando lixo para trás.

Nas contas da própria Greta Thunberg, a jovem que tem atraído políticos a nível internacional para a causa do ambiente, é esperada a participação de cerca de cem países e protestos em mais de 1600 localidades. Em Lisboa, os estudantes vão marchar do Largo Camões até ao Parlamento. No Porto, a concentração acontece em frente à Câmara.

"Protesta pacificamente", sugere a organização, que garante que todas as manifestações foram devidamente comunicadas às câmaras municipais e as condições de segurança estão asseguradas. "Não deites lixo nem beatas para o chão no decorrer dos protestos!".

iniciativa de amigos

Hoje é o grande dia para a Matilde Alvim, de Palmela, e Barbara Pereira, de Santa Maria da Feira, duas das promotoras da iniciativa nacional. Matilde, de 17 anos, aluna da Escola Secundária de Palmela, começou por desafiar um grupo de amigos através do Instagram para replicarem os protestos que estavam a fervilhar noutras cidades europeias. Bárbara, 17 anos, aluna do Colégio dos Carvalhos (Gaia), foi uma delas. Cada núcleo regional contactou associações de estudantes e disseminou a mensagem.

O primeiro desafio, lembra Bárbara, foi saber como se faria uma manifestação. "Aos poucos, recolhemos informação e fomos montando o puzzle". Este movimento, a seu ver, prova duas coisas: não só há jovens que se preocupam com os problemas de todos - o ambiente - como conseguem agir. "Tem sido mais difícil do que estava à espera. Tem absorvido muito tempo", conclui Matilde.

Os jovens pedem medidas políticas urgentes para travar alterações climáticas: fim da exploração dos combustíveis fôsseis e maior investimento nas renováveis.

Imobusiness