O Jogo ao Vivo

Reação

Pedro Nuno Santos sai em defesa da profissional que também é sua mulher

Pedro Nuno Santos sai em defesa da profissional que também é sua mulher

Pedro Nuno Santos defendeu publicamente a mulher, que foi nomeada para chefiar o gabinete do novo secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro e dos Assuntos Parlamentares.

Foi através de um texto longo, com 65 linhas, na sua página do Facebook, que o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, respondeu às insinuações de que Ana Catarina Gamboa teria entrado para o Governo, para a chefia do gabinete de Duarte Cordeiro, por ser sua mulher. Catarina Gamboa conhece Duarte Cordeiro há 16 anos e trabalhava com ele antes de este fazer parte do executivo de António Costa.

Pedro Nuno Santos conta que conheceu Ana Catarina Gamboa há 16 anos, precisamente através de Duarte Cordeiro, "seu amigo e companheiro de muitas lutas políticas", e agora secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Parlamentares. Na altura, Duarte Cordeiro ia disputar a concelhia da JS em Lisboa e Pedro Nuno santos a Federação de Aveiro.

"Estávamos os dois ainda na faculdade e sabíamos que se ganhássemos aqueles dois combates a seguir avançaríamos para a conquista da JS nacional", lembra. "Assim foi".

Duarte Cordeiro convidou Catarina Gamboa para a Câmara de Lisboa

Foi nesse contexto que contactou com "a mulher bonita, divertida e com muita graça, inteligente e desafiadora, e, sobretudo, competente", que viria a ser sua mulher e mais recentemente mãe do seu filho. "Ela era inquieta, rebelde, sempre pronta a desafiar e a questionar as minhas decisões. Mas apesar de chocarmos muito, gostava da personalidade dela e do seu instinto político", declara. E foi por isso que Ana Catarina Gamboa fez parte do Secretariado Nacional da JS.

Só depois de esta ter terminado o curso é que Duarte Cordeiro, na qualidade de vereador da Câmara Municipal de Lisboa, a convida para ir trabalhar com ele e comenta a esse respeito: "Eu não tive qualquer influência na sua decisão. Eu e a Catarina não estávamos sequer juntos nessa altura". Sublinha que "foram as suas competências e a relação de confiança entre ela e o Duarte que o levaram a essa escolha".

Este ponto vem determinar, na explicação de Pedro Nuno Santos, a relação de proximidade com Duarte Cordeiro e justificar o seu mais recente convite para estar ao lado deste governante, enquanto chefe de gabinete do secretário de Estado.

Pelo meio houve um reencontro, uma paixão. Como descreve, num momento em que estava "mais maduro, e com Catarina igualmente gira, divertida e inteligente". "Aconteceu connosco o que acontece com muitas pessoas - apaixonarmo-nos por alguém com quem nos relacionamos, seja no nosso grupo de amigos, seja no trabalho", afirma.

Por outro lado, manifesta, se ninguém deve ocupar um lugar profissional por mero favor, também "não deve ser prejudicado na sua vida profissional por causa do marido, da mulher, da mãe ou do pai". Conclui, afirmando que a "Catarina, que é a minha mulher e mãe do meu filho Sebastião é, também, a Catarina Gamboa: uma excelente profissional, pessoa de enorme competência e confiança".

A nomeação oficial de Catarina Gamboa como chefe de gabinete dos Assuntos Parlamentares foi publicada na última sexta-feira em Diário da República e alvo de inúmeras notícias por causa da relação familiar.