Metas para 2020

Portugal falha metas para 2020 em seis dos oito objetivos

Portugal falha metas para 2020 em seis dos oito objetivos

Dos oito objetivos que Portugal se comprometeu a cumprir até 2020 quando começou a receber os atuais fundos europeus, ainda só atingiu dois. A dois anos do final do quadro de fundos comunitários, a Pordata reuniu num só local, na sua página na Internet, estatísticas da evolução nos últimos anos dos vários indicadores.

Quando começou a receber os atuais fundos europeus, Portugal comprometeu-se a investir o dinheiro para atingir um conjunto de metas até 2020. O cenário traçado mostra que as metas ligadas ao conhecimento são particularmente preocupantes, adiantou ao JN a diretora-geral da Pordata, Maria João Valente Rosa.

Na altura, nada indicava que Portugal entraria em colapso financeiro e fosse alvo de um resgate e uma crise económica profunda, ressalvou a responsável pelo projeto da Fundação Francisco Manuel dos Santos. A redução do emprego e do investimento em investigação e desenvolvimento (I&D), bem como o aumento da pobreza e exclusão social são um reflexo disso mesmo.

Da mesma forma, será possível antever que Portugal se afastará da meta de energias renováveis devido à seca em que o país está mergulhado e que poderá reduzir a produção de eletricidade em barragens.

"Os dados têm de ser lidos à luz da evolução numa década, de fatores de conjuntura e do que se passa noutros países da União Europeia", salientou Valente Rosa. É precisamente para isso que a Pordata decidiu agora agregar os dados. "Esta é a altura certa para analisar o caminho que Portugal tem percorrido: olhar para as ambições definidas à partida e perceber se o país está a evoluir na direção correta", afirmou.

A informação, acredita, é importante tanto para os decisores quanto para os cidadãos: "As pessoas ouvem falar destas metas, mas têm dificuldade em encontrar dados, até porque alguns estão em inglês. Nós queremos aproximar as pessoas da informação que lhes diz respeito".

Metas para 2020 já cumpridas

Gases com efeito de estufa

Portugal polui menos do que a meta definida. Até 2020, até pode aumentar as emissões de gases com efeito estufa, mas desde que tal aumente o crescimento da economia.

Energias fósseis

Está dentro do limite, mas, nos últimos anos, o consumo de energia produzida a partir de petróleo, gás e de carvão tem subido.

Metas ainda por cumprir

Energias renováveis

O peso das energias renováveis no total do consumo tem subido, mas ainda está aquém da meta. E, com a seca, é de esperar que a produção hidroelétrica seja menor.

Taxa de emprego

Depois de uma quebra forte nos anos da crise (que não se podia prever quando as metas foram negociadas, ressalva Valente Rosa), há cada vez mais portugueses a trabalhar, mas ainda menos do que o objetivo fixado para 2020.

Abandono e superior

Quer no abandono escolar (jovens que não acabaram o secundário) quer na quantidade de adultos (dos 30 aos 34 anos) com ensino superior, a evolução tem sido positiva. Para atingir as metas, contudo, é necessário reforçar o investimento nestas áreas, realça Valente Rosa.

Investigar e desenvolver

Ainda na área do conhecimento, Portugal está claramente atrasado no que toca ao investimento em investigação e desenvolvimento (I&D).

Pobreza e exclusão social

Tal como a taxa de emprego, também os indicadores de pobreza e exclusão social pioraram muito nos anos do resgate. Os dados melhoram a partir de 2015, mas Portugal ainda está longe de atingir a meta para 2020.

ver mais vídeos