Lisboa

Procuram-se voluntários para estudo sobre redução de sal na comida

Procuram-se voluntários para estudo sobre redução de sal na comida

Arranca esta segunda-feira um estudo científico que pretende avaliar o impacto na saúde de um programa de reeducação alimentar de redução do consumo do sal. Em média, os portugueses consomem o dobro do recomendado.

Ao longo do mês de fevereiro decorrerá o processo de seleção de voluntários, que será feito entre as pessoas que manifestarem interesse em participar através do endereço de email estudosaude2019@gmail.com e cumpram os requisitos necessários.

Depois, ao longo dos meses de março, abril e maio, 500 voluntários com idades entre os 20 e 70 anos, residentes na área metropolitana de Lisboa, serão orientados por médicos e especialistas em nutrição em atividades quotidianas como a seleção dos alimentos a adquirir e a sua confeção, entre outras, aprendendo a interpretar os rótulos e a fazer escolhas mais saudáveis. A quantidade de sódio excretado na urina será analisada para aferir a presença real de sal no organismo dos voluntários. Serão monitorizados o peso, o perímetro abdominal e a pressão arterial.

"Esperamos que a mudança no estilo de vida, sobretudo nos hábitos alimentares, tenha um impacto favorável na população em estudo e que as alterações observadas se traduzam em ganhos de saúde duradouros", explica Conceição Calhau, coordenadora da Unidade Universitária de Lifestyle Medicine da CUF e da NOVA Medical School e investigadora do Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), que orienta o estudo juntamente com Jorge Polónia, docente da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e da Universidade de Aveiro, também investigador do CINTESIS e médico no hospital CUF Porto.

A iniciativa integra o programa "Menos Sal Portugal", promovido pela CUF e Pingo Doce e apresentado esta manhã, na Gulbenkian, com a presença da Diretora Geral da Saúde, Graça Freitas. A intenção é consciencializar os portugueses para a importância de melhorarem os seus hábitos alimentares em relação ao consumo de sal, salientando o impacto dessa mudança de comportamentos na saúde.

Consumimos o dobro do sal

Os portugueses consomem, em média, 10,7 gramas de sal por dia, o que corresponde ao dobro do consumo máximo recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de cinco gramas de sal para um adulto. Para as crianças a OMS recomenda no máximo até três gramas diárias. Os dados constam do estudo "Portuguese Hypertension and Salt", coordenado por Jorge Polónia.

O consumo excessivo de sal é tido por muitos profissionais como um problema de saúde pública, uma vez que está associado a várias doenças, nomeadamente à hipertensão que pode provocar Acidentes Vasculares Cerebrais ou enfarte do miocárdio. Ainda de acordo com o estudo de Jorge Polónia, existem dois milhões de hipertensos em Portugal, mas metade não sabe e apenas um quarto estão medicados.

Imobusiness