Lisboa

Sindicatos dizem que cerca de 50 mil professores participam na manifestação

Sindicatos dizem que cerca de 50 mil professores participam na manifestação

Cerca de 50 mil professores participaram, este sábado, na manifestação em Lisboa a exigir medidas do Ministério da Educação, segundo uma estimativa avançada à agência Lusa pelo secretário-geral da Federação Nacional de Professores (Fenprof), Mário Nogueira.

"Passou todas as expectativas", afirmou Mário Nogueira dizendo que estiveram presentes no Marquês de Pombal "mais de 50 mil professores", tendo por base contas feitas com a ajuda da PSP.

O secretário-geral da Fenprof acrescentou que devido a problemas de trânsito houve muitos professores da zona de Lisboa que acabaram por chegar um pouco mais tarde.

O desfile partiu às 17 horas do Marquês de Pombal em direção ao Rossio encabeçado pelos líderes das 10 estruturas sindicais que convocaram a manifestação.

Durante o protesto foi aprovada uma resolução em que se exige ao Ministério da Educação a tomada de medidas relacionadas com questões laborais, caso contrário os sindicatos admitem avançar para a greve ainda este ano letivo.

A contagem integral do tempo de serviço para efeitos de carreira, um horário semanal de 35 horas efetivas e a aprovação de um regime específico de aposentação dos professores que comece a ser aplicado já no próximo ano são três das seis exigências definidas na resolução.

Os professores querem ainda que haja "reposição da legalidade nos concursos que estão a decorrer", assim como sejam resolvidos os problemas de precariedade nas escolas com a abertura de vagas, tendo em conta as necessidades reais dos estabelecimentos de ensino.

Finalmente, os docentes defendem que a generalização da flexibilidade curricular só deve ser feita depois de avaliada a experiência que está a ser feita este ano em cerca de 200 escolas.

ver mais vídeos