Covid-19

Já há 24 empresas que cumprem os requisitos de certificação de máscaras

Já há 24 empresas que cumprem os requisitos de certificação de máscaras

Processo de validação de protótipos é demorado e há muitos empresários à espera. Selo assinado pelo Citeve é a única garantia de uma certificação.

Com tantas empresas a venderem máscaras com falsa certificação, torna-se difícil para o consumidor conseguir perceber se está a comprar máscaras de uma das 24 empresas que, até quarta-feira, tinham recebido autorização do Citeve para a produção de máscaras de nível 2 e 3.

A forma mais fácil, afiança o próprio centro, é olhar para o selo que acompanha o pacote das máscaras: "O consumidor deve verificar o selo e o número de lavagens que traz lá". Neste caso, a certificação de repelentes ou antibacterianos não conta, pois o que interessa é a máscara como um todo. "No limite, podemos ter uma máscara cujo repelente resiste a 50 lavagens, mas a filtração pode chegar à sexta e já não funcionar", explica Brás Costa, diretor-geral do Citeve.

Nas duas últimas semanas, desde que o projeto com o Infarmed e DGS começou, aquele centro com sede em Vila Nova de Famalicão recebeu cerca de 1800 protótipos de vários produtos para certificação. Aqui também se incluem batas e outros equipamentos, mas as máscaras são a maioria. O processo de certificação é lento pois cada máscara tem de ser lavada e secada ao natural pelo menos cinco vezes antes de ser testada. Depois são feitos testes químicos, testes de funcionamento, se cobre a cara, o queixo, se o clipe funciona, se os elásticos aguentam e se tem as dimensões certas, seja para o modelo de adulto ou de criança.

"Neste momento, não temos nenhuma que resista a mais de cinco lavagens. Vamos ter no futuro, mas ainda não testamos mais que cinco", refere o diretor-geral do Citeve. Braz Costa avisa que "as empresas têm de perceber que não é chegar de manhã e levar o certificado à tarde", pois há um conjunto de procedimentos "que envolvem um trabalho sério".

O Citeve já reforçou a equipa de trabalho, colocando administrativos na produção, mas continuam por responder centenas de pedidos de empresas que veem nos produtos de proteção individual uma oportunidade para diminuir a crise em que mergulharam devido à pandemia.

Onde ver?

A lista de empresas e máscaras certificadas pode ser encontrada em www.citeve.pt. Todos os dias, de madrugada, é atualizada.

Para profissionais

As máscaras para profissionais de saúde, de nível 1, descartáveis, também são certificadas. Há dez modelos a serem fabricados.

Outros produtos

Citeve também certifica outros produtos como batas cirúrgicas, camisas de doentes, cobre-botas, cógulas, perneiras, resguardos e manguitos. Há 113 produtos e materiais além das máscaras.

Outras Notícias