Pandemia

Mais 67 mortos em dia com 1940 casos de covid-19 em Portugal

Mais 67 mortos em dia com 1940 casos de covid-19 em Portugal

Portugal registou 1940 casos de covid-19, período no qual foram reportadas 67 mortes, o segundo número mais baixo desde o início do ano.

O total de mortes associadas à covid-19 subiu para 15821, contando com as 67 registadas esta sexta-feira, uma descida acentuada relativamente aos 105 óbitos reportados na quinta-feira. Segundo dados do boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS), 794769 pessoas foram infetadas com o vírus da SARS-CoV-2 desde o início da pandemia, 1940 das quais nas últimas 24 horas.

O total de óbitos, é o segundo mais baixo desde o início do ano, apenas com mais uma vítima mortal que os 66 reportados a 1 de janeiro, o mês mais negro da pandemia em Portugal, no qual foram perdidas 5576 vidas por causas associadas à covid-19.

Os 1940 casos reportados nas últimas 24 horas, menos quatro que os 1944 de quinta-feira, representam o quinto dia, em sete, com menos de dois mil casos diários, o limiar abaixo do qual os especialistas consideram necessário atingir, de forma sustentada, para que seja possível o alívio das medidas de confinamento.

As notícias são encorajadoras, também, para os hospitais, com o número de internados a cair para 3584, menos 235 do que na quinta-feira, número mais baixo desde 10 de janeiro. Nas Unidades de Cuidados Intensivos há menos 19 pessoas, 669 no total, o registo mais baixo desde 19 de janeiro, há um mês.

Total de internamentos caiu para metade desde o início do mês

PUB

O total de internamentos caiu para quase metade desde o início do mês. A 1 de fevereiro havia 6869 camas ocupadas com doentes covid, o registo máximo alcançado no país. Esta sexta-feira, 18 dias volvidos, há 3584 doentes internados, menos 3285, o que representa uma quebra de 48% de hospitalizados.

Nas Unidades de Cuidados Intensivos, que recebem os doentes mais graves, a quebra é menos acentuada. O máximo de pacientes foi atingido a 5 de fevereiro, com 904 pessoas a lutar pela vida nos hospitais. Seguiu-se uma descida sustentada, apenas com uma exceção, a 12 de fevereiro, que culmina numa redução de 26%, traduzida em menos 235 pessoas desde esse pico. Comparando com os registos de 1 de fevereiro, quando havia 865 pessoas em UCI, a percentagem é menor, 23%, que equivale a menos 196 doentes graves ao dia de hoje.

O número de casos ativos em Portugal caiu para 87082 nas últimas 24 horas (menos 2531), enquanto o total de pessoas sob vigilância das autoridades é, agora, de 100282, menos 7271 do que ontem. Há, ainda, mais 4404 pessoas recuperadas - 691866 desde o início da pandemia.

O total de casos ativos caiu para menos de metade desde o início do mês. A 1 de fevereiro a DGS reportava 179180 doentes infetados com o vírus da SARS-CoV-2. Esta sexta-feira, são 87082, menos 92098 do que no primeiro dia do mês mais curto do ano.

O pico da covid-19, atingido a 29 de janeiro, segundo os epidemiologistas, traduziu-se num recorde de 181811 infetados. Contas feitas, em 21 dias há menos 94729 casos ativos.

Lisboa com metade dos óbitos e dos casos de covid-19

A Região de Lisboa e Vale do Tejo (RLVT) reportou cerca de 50% do total diário de casos (975 em 1940) e de óbitos (38 dos 67 registados nas últimas 24 horas).

A Região Norte confirmou 403 casos e 10 óbitos, o registo mais baixo de mortes desde 26 de outubro. Ao centro, foram reportados 13 óbitos e 287 casos positivos, enquanto no Alentejo houve mais 49 infeções e quatro mortes. No Algarve foram contabilizados 75 positivos e dois óbitos.

Açores e Madeira registaram mais um dia sem óbitos, embora a "Pérola do Atlântico" tenha reportado 140 casos de covid-19, um dos registos mis elevados no arquipélago madeirense, enquanto os açorianos acrescentaram 11 infeções ao registo.

Mais de metade (58%) das vítimas mortais reportada nas últimas 24 horas tinha mais de 80 anos, 22 homens e 17 mulheres - 39 óbitos entre os mais idosos, uma faixa etária que perdeu 10516 vidas desde o início da pandemia, 66% do total desde o início da pandemia.

Num dia em que não há vítimas nos escalões inferiores aos 50 anos, foi reportada a morte de uma mulher com mais de 50 e menos de 60 anos, e 10 óbitos, cinco homens e cinco mulheres, na faixa etária dos 60-69 anos. Nos sexagenários, o total de óbitos é de 1380 desde o início da pandemia, enquanto entre os cinquentões é de 414.

A segunda faixa etária mais afetada, a dos 70-79 anos, registou a perda de 17 pessoas, 14 homens e três mulheres. No total, morreram 3314 septuagenários desde o início da pandemia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG