Covid-19

Mais de mil pessoas vão ser testadas em Portugal num inquérito-piloto sobre imunidade

Mais de mil pessoas vão ser testadas em Portugal num inquérito-piloto sobre imunidade

Entre o final de abril e o início de maio, 1700 pessoas vão testadas num teste piloto do Instituto Nacional Ricardo Jorge para conhecer os primeiros níveis de imunização na sociedade portuguesa. Graça Freitas admitiu que está a ser equacionado um cordão sanitário em Castro Daire.

Na conferência diária sobre o surto de Covid-19 em Portugal esta quinta-feira, Fernando Almeida adiantou que está a ser preparado um inquérito piloto para conhecer o nível de imunidade ao novo coronavírus em Portugal. Os testes vão abranger 1700 pessoas e deverão começar a ser feitos no final deste mês e no início do mês de maio.

Apesar da novidade, o diretor do Instituto Nacional Ricardo Jorge (INSA) admitiu que é "impossível" conhecer nesta altura o número total de imunizados devido ao estado da curva epidémica no país. "É um número pequeno e não servirá para fazer um diagnóstico", esclarece.

Questionado sobre a credibilidade do teste de imunidade que Marcelo Rebelo de Sousa fez na Fundação Champalimaud, que teve resultado negativo, o diretor do Instituto Nacional Ricardo Jorge preferiu não tecer comentários.

Fernando Almeida, à semelhança do que tem sido dito pela Direção-Geral de Saúde, afirmou que é necessário esperar por mais estudos e pela evolução da pandemia em Portugal, para que seja feito um inquérito sorológico.

A prematuridade dos testes de imunidade tem sido salientada por Graça Freitas, que acrescenta que o primeiro caso confirmado de Covid-19 apenas surgiu no dia 2 de março.

Cordão sanitário em Castro Daire e demissão em Lisboa

Num dia em que se registam 409 mortes e 13 mil e 956 pessoas infetadas em Portugal, a diretora-geral da Saúde admitiu que está a ser "equacionado um cordão sanitário" na vila de Castro Daire, em Viseu, onde se registam 65 casos confirmados e se aguardam os resultados de 140 pessoas. "Foi feita uma avaliação de risco (...) e vai seguir uma proposta superior que será entregue à senhora ministra [Marta Temido]", explicou aos jornalistas.

Horas antes da conferência de imprensa foi conhecida a demissão de Américo Martins, diretor do Serviço de Cirurgia Geral e Transplantação do Hospital Curry Cabral, em Lisboa. O secretário de Estado da Saúde não comentou, mas referiu que o assunto estava a ser avaliado pelo conselho de administração do hospital.

Américo Martins terá sugerido que fossem criados circuitos diferentes para doentes oncológicos e transplantados no Curry Cabral, impedindo assim a transferência para o Hospital Santa Marta, também em Lisboa. António Sales informou que a transferência de serviços só deverá acontecer "caso seja necessário", já que as unidades deverão ter zonas diferenciadas para os doentes infetados e os restantes.

Milhões a caminho de Portugal

O material de proteção voltou a ser novamente falado na conferência de imprensa, quando são muitas as críticas de vários autarcas face à falta de recursos. O secretário de Estado anunciou que vão começar a ser distribuídas 90 mil zaragatoas e que se prevê receber esta sexta-feira, um milhão de testes e cinco milhões de máscaras cirúrgicas.

Também esta quinta-feira, António Sales revelou que todas as Pousadas da Juventude no país estão disponíveis para receber profissionais de saúde, idosos deslocados de lares, doentes infetados e sem-abrigo. Um total de 2400 camas vão estar ao seu dispôr, sendo que 28 delas estão já ocupadas com profissionais de saúde.

Esta quinta-feira, mais 29 pessoas morreram com Covid-19 em Portugal, o que perfaz um total de 409 vítimas mortais. Nas últimas 24 horas, há mais 815 casos confirmados e Portugal chega assim aos 13 mil e 956 infetados.