Covid-19

Incidência e transmissão sobem num dia com sete mortes e 2436 casos

Incidência e transmissão sobem num dia com sete mortes e 2436 casos

Portugal regista, esta sexta-feira, 2436 casos e sete mortes associadas à covid-19. Incidência e transmissibilidade no vermelho carregado.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) reportou 2436 casos e sete mortes por covid-19 nas últimas 24 horas. Números que elevam o total de infeções para 884442 e o de óbitos para 17108, numa altura em que a quarta vaga da pandemia alastra pelo país.

Com mais 23 internados, o total de hospitalizados subiu para 532, dos quais 118 em unidades de cuidados intensivos, mais cinco do que ontem. Números semelhantes aos de meados de abril.

PUB

Os casos ativos, a diferença entre os novos positivos e a soma das mortes e dos recuperados, subiram mais de mil pelo terceiro dia seguido. Com 1174 novos infetados, são, agora, 35855 os portugueses oficialmente infetados com o vírus.

No total, 55848 pessoas estão sob vigilância das autoridades, por terem tido um contacto próximo com um infetado. São mais 2588 face nas últimas 24 horas, período no qual 1255 pessoas recuperaram da doença - 831479 desde o início da pandemia.

Sexta-feira, assim como segunda e quarta, é dia de atualização da matriz de risco, o quadro a verde, amarelo e vermelho que orienta as decisões do Governo sobre a evolução do desconfinamento ou do aperto das medidas de restrição, como as que entram hoje em vigor.

A taxa de incidência subiu de 172,8 casos de infeção por 100 mil habitantes para 189,4, a nível nacional. Sem as ilhas, o território continental regista uma subida de 176,9 para 194,2. Um novo salto deste indicador, que era de 158,8 (nacional) e 176,9 (continente) na segunda-feira.

O índice de transmissibilidade, o R(t), subiu de 1,14 na quarta-feira para 1,16, a nível nacional. Contas feitas apenas no território continental, a subida é de 1,15 para 1,17. Indicadores que colocam Portugal no vermelho carregado da matriz de risco.

Das sete vítimas mortais, cinco (quatro homens e uma mulher) tinham mais de 80 anos. A faixa etária dos mais idosos é a mais penalizada pela pandemia, tendo perdido 11228 vidas, o que equivale a quase 66% do total de 11708 óbitos a nível nacional.

As outras duas vítimas, dois homens, tinham mais de 70 anos e menos de 79. É o segundo escalão etário mais afetado pela pandemia - 3653 mortes (21%) do total nacional.

Os 2436 casos reportados hoje representam uma descida de 13 em comparação com os 2449 de ontem, mas evidenciam uma subida face aos 1604 de quinta-feira passada e quase o dobro das 1298 infeções registadas há 15 dias.

Com números semelhantes aos e ontem, as alterações são mínimas nas regiões definidas pela DGS. Lisboa e Vale do Tejo mantém-se como a zona mais afetada, com o registo de casos a subir de 1339, na quinta-feira, para 1371, esta sexta-feira. É a cifra mais elevada desde 13 de fevereiro com o total de infeções a ascender, agora, 342748, das quais resultaram 7272 mortes, cinco nas últimas 24 horas.

Outra das vítimas mortais das últimas 24 horas vivia na Região Norte. Ainda a mais afetada em termos de casos de covid-19, regista um acumulado de 5367 óbitos, de um total de 346944 infeções, 553 nas últimas 24 horas, um decréscimo de 13 face aos 566 do boletim de quinta-feira.

A Região Centro reportou também um decréscimo do número de casos. Com menos 57 infeções, 178 esta sexta-feira face aos 235 de quinta-feira, esta zona do país acumula 122520 positivos, das quais resultaram 3027 óbitos.

O Algarve estabilizou, registando 213 infeções, menos quatro do que ontem, após um pico de 254, na quarta-feira. Números que atiram o acumulado para 24919 (e 213 óbitos) no extremo sul do país.

O Alentejo registou uma morte (973 no total) e um aumento do número de casos, de 53 para 92 (mais 39), para uma cifra só superada pelos 108 casos de 17 de fevereiro - o total é de 31142 desde o início da pandemia.

Nas ilhas, os Açores registaram 16 novas infeções, menos sete que as 23 de ontem, acumulando 6218 casos e 34 óbitos. Na Madeira, são 13 as novas infeções (16 ontem) - no total, 70 pessoas morreram na "Pérola do Atlântico", de um total de 9951 infeções.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG