O Jogo ao Vivo

Pandemia

Menos mortes mas mais casos de covid nas últimas 24 horas

Menos mortes mas mais casos de covid nas últimas 24 horas

Portugal registou 10 mortes associadas à covid-19 nas últimas 24 horas, período no qual foram reportados 434 novos casos da doença, uma subida, relativamente à última terça-feira.

Os dados revelados pela Direção-Geral da Saúde (DGS), esta terça-feira, reportam 434 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o acumulado, desde 2 de março, para 818212. No mesmo período de tempo, foram registadas 10 mortes, com o total de óbitos desde a pandemia a ascender agora a 16794.

Números que mostram um aumento dos casos de segunda para terça-feira, o que é natural, todas as semanas, uma vez que, por norma, no primeiro dia útil há menos registos. Na ressaca do dia com menos casos desde 1 de setembro, ontem, os dados de hoje evidenciam uma subida relativamente à terça-feira da semana passada, quando foram registados 384 positivos e 13 óbitos. São mais 50 casos, mas menos três mortes.

Depois de dois dias a subir, 21 no domingo e seis na segunda-feira, os internados baixaram em 28 esta terça-feira, para 743, o número mais baixo desde os 732 hospitalizados em 6 de outubro. Entre os doentes mais graves, mantêm-se a tendência de descida, com menos seis doentes em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI). O total de pacientes em risco de vida é, agora, de 159, a cifra mais baixa desde 18 de outubro, quando havia 155 pessoas acamadas em UCI.

Segundo o boletim da DGS, há mais 1212 pessoas recuperadas da doença (769086, no total) e menos 788 casos ativos de covid, com o acumulado a cair para 32332, e menos 162 pessoas em vigilância - 14918 no total.

Dia sem mortes entre pessoas com menos de 70 anos

PUB

A covid-19 é mais penalizadora para os idosos e os dados das últimas 24 horas comprovam-no na totalidade. Das 10 vítimas mortais reportadas no boletim da DGS desta terça-feira, sete (dois homens e cinco mulheres) tinham mais de 80 anos.

As outras três vítimas mortais, dois homens e uma mulher, tinham mais de 70 anos e menos de 80. No total, os escalões etários mais elevados acumulam 14636 mortes, 87% do total de 16794 vidas perdidas para a covid-19 desde a primeira fatalidade, registada a 16 de março de 2020.

Mais mortes na Região Norte e mais casos em Lisboa

A Região Norte reportou cinco mortes, metade do total nacional diário, e 113 casos de covid-19. Números que mostram uma ligeira quebra ao nível dos testes positivos relativamente aos 127 da terça-feira a semana passada, mas um aumento dos óbitos, somando num dia tantas mortes como as registadas nos cinco dias anteriores. Na zona mais setentrional do país, perderam-se 5294 vidas em 329665 infeções associadas ao vírus da SARS-CoV-2.

A Região de Lisboa e Vale do Tejo reportou 157 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, mais 10 que os registados na terça-feira da semana passada, mas registou três óbitos, menos do que há oito dias. Globalmente, em 309999 testes positivos, perderam-se 7098 vidas no entorno da capital desde o início da pandemia.

O Alentejo registou uma vítima mortal (967 no total) após cinco dias sem óbitos a lamentar e anotou mais 20 testes positivos, para um acumulado de 28930 desde o início da pandemia.

Na Região Centro foi também perdida uma vida nas últimas 24 horas, 2990 desde o início da pandemia, com os casos totais a ascenderem a 116746, já contando com os 58 desta terça-feira, menos seis que há uma semana.

Algarve e ilhas não reportaram vítimas mortais nas últimas 24 horas, embora no extremo sul de Portugal se tenha verificado um aumento dos casos, de 13 para 29, comparando esta terça-feira e a anterior. Desde o início da pandemia, morreram 351 pessoas em 20497 casos reportados em terras algarvias.

Nos Açores, houve também um aumento do número de casos, de 15 para 24, de uma terça-feira para a outra, com os totais a ascenderem atualmente a 3989 infeções e 28 óbitos desde o início da pandemia.

Na Madeira, que regista o segundo dia seguido sem vítimas mortais, foi também anotado um aumento dos casos, para mais do triplo, de 11 para 34 de uma terça-feira para outra. Cifras globais, a "pérola do Atlântico" chora a morte 66 pessoas em 8396 infeções registadas desde o início da pandemia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG