Ensino Superior

Ministro pede aos estudantes para repudiarem praxes

Ministro pede aos estudantes para repudiarem praxes

Na semana de receção aos caloiros, Manuel Heitor escreveu a todos os dirigentes de instituições e de associações de estudantes a pedir que seja feita "uma integração saudável" sem praxes e "humilhações".

Após dois anos letivos marcados pela pandemia, universidades e politécnicos regressam às atividades presenciais e o ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior voltou a pronunciar-se contra as praxes e a apelar ao "repúdio de todas as manifestações de poder, humilhação e subserviência".

"Agora que regressamos às atividades presenciais, reforço o apelo a todos os dirigentes de universidades e politécnicos e, sobretudo, a todos os dirigentes das associações e estruturas estudantis, que assumam uma posição ativa na integração saudável e solidária dos estudantes no Ensino Superior, evitando e contrariando qualquer tipo de iniciativas de praxe de natureza humilhante", escreveu Manuel Heitor.

Na carta enviada esta semana aos dirigentes, divulgada esta sexta-feira, o ministro recorda a iniciativa EXARP, que promove ações de integração como debates, concertos ou atividades desportivas, o movimento "Transforma Portugal", que mobiliza os jovens para ações de voluntariado. E prometeu continuar vigilante nomeadamente através da linha de apoio da Direção Geral do Ensino Superior (DGES) para denúncias de praxes abusivas (213126111 ou pelo email praxesabusivas@dges.gov.pt).

"Da minha parte tudo farei para continuar a dar a volta à praxe, valorizando todas as iniciativas que promovam a liberdade e a emancipação dos jovens estudantes do Ensino superior, estimulando a sua aprendizagem para serem cada vez mais alegres e tolerantes, em respeito pelos direitos individuais e coletivos", assegurou Manuel Heitor.

Por todo o país, a semana de receção aos caloiros tem sido celebrada com ações de simples visitas guiadas às instituições e concertos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG