O Jogo ao Vivo

Exclusivo

Mulheres perdem 5,5 mil milhões de euros em salários

Mulheres perdem 5,5 mil milhões de euros em salários

O impacto da crise da pandemia já é maior no sexo feminino, com mais horas trabalhadas, perda de rendimento e desemprego duradouro. A digitalização da economia em curso e a ascensão de movimentos extremistas podem comprometer meio século de evolução da igualdade de género.

A crise gerada pela pandemia está a afetar as mulheres de forma mais duradoura do que aos homens e a retoma pode trazer riscos acrescidos de desigualdade, à medida que a digitalização da economia progride. Mesmo que as mulheres estudem mais e procurem emprego nessas áreas predominantemente masculinas, provavelmente vão ganhar menos. No ano passado, perderam 5,5 mil milhões de euros por receberem menos do que os homens em cargos iguais.

"São as mulheres mais qualificadas que mais perdem face aos homens. No grupo de 1% com ganhos mais mais elevados, as mulheres recebem apenas 59,1% face aos homens", detalhou o economista Eugénio Rosa, que calculou as perdas das mulheres em 2020 devido à desigualdade - 5517 milhões de euros - com base nas informações das empresas privadas fornecidas ao Ministério do Trabalho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG