Lisboa

PAN preocupado com abandono de animais em época de Covid-19

PAN preocupado com abandono de animais em época de Covid-19

O grupo municipal do PAN está preocupado com o abandono dos animais durante a pandemia do novo coronavírus. "As associações de proteção ao animal já começaram a sinalizar alguns casos. É importante que se tomem medidas", diz a deputada municipal do PAN, Inês Sousa Real, ao JN.

O PAN questionou, por isso, a Câmara de Lisboa sobre os planos que tem para acautelar a proteção dos animais e prevenir o seu abandono. "É importante que as autarquias tenham resposta para estas situações, sob pena de termos um flagelo em que tenhamos animais a morrerem à fome", prevê Inês Sousa Real.

O PAN Lisboa receia que não estejam a ser tomadas medidas para proteger os animais e perguntou à Câmara de Lisboa quais os planos do município para prevenir o abandono dos animais durante a pandemia do novo coronavírus. "Houve uma limitação da atuação dos órgãos municipais nesta fase. A Casa dos Animais de Lisboa só está a recolher animais em determinadas circunstâncias, nomeadamente se se encontrarem feridos. Não está a garantir situações em que o animal possa ter sido abandonado", nota.

A deputada municipal alerta ainda para a relação da desinformação com o abandono dos animais. Têm surgido notícias a darem conta de animais infetados, "mas não existe nenhuma evidência científica de que o vírus seja transmissível para, e de, animais de companhia". "Têm sido sinalizados animais com Covid-19, sem que tenha havido sequer exames. O reverso da medalha desta desinformação é o abandono, um fenómeno que já começou a acontecer noutros países. Queremos evitar que as pessoas deixem para trás os animais numa fase tão difícil por causa de desinformação", salienta.

Numa altura em que estão a ser tomadas várias medidas de restrição, e em que há "uma clara diminuição dos meios humanos nas associações zoófilas", o PAN pede ainda à autarquia lisboeta que prepare um plano de contingência, em parceria com as associações de proteção animal. Esta seria uma forma de garantir, por exemplo, "o tratamento e acolhimento dos animais detidos por pessoas infetadas com Covid-19, que tenham de ser internadas ou de estarem em isolamento, e não puderem prestar apoio aos animais de companhia".

Cuidados animais poderão não ser assegurados

Acautelar uma "eventual falta de alimentação ou de voluntários que possam assegurar os cuidados aos animais" é outro dos objetivos do plano de contingência proposto pelo PAN. Este plano, refere ainda, "é muito importante também em espaços como o Oceanário e o Jardim Zoológico, onde existe um número elevado de animais". "Se a cidade não estiver preparada para lidar com estes fenómenos, e caso se prolongue esta situação e possam escassear alimentos, os cuidados aos animais poderão não ser garantidos", lamenta Inês Sousa Real.

O PAN quer ainda saber como pretende a autarquia controlar as colónias de gatos e a proliferação de animais errantes durante a covid-19, que apoio está a ser dado pela Câmara às associações de proteção animal do município e se tem prevista uma campanha contra o abandono de animais. "Não faz sentido estarmos perante uma crise pandémica e os animais serem esquecidos", frisa a deputada municipal.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG