O Jogo ao Vivo

Pandemia

Portugal passou os mil casos diários de covid-19 esta quinta-feira

Portugal passou os mil casos diários de covid-19 esta quinta-feira

O secretário de Estado da Saúde, Lacerda Sales, admitiu, esta quinta-feira, que Portugal ultrapassou os mil casos de covid-19 nas últimas 24 horas.

A revelação foi feita esta quinta-feira, durante uma visita ao hospital de Braga. "Temos de nos preparar para o que aí vem", disse Lacerda Sales.

Os números oficiais só serão revelados por volta da hora de almoço, no habitual boletim da Direção-Geral da Saúde, mas segundo António Lacerda Sales, Portugal voltou a ultrapassar a barreira dos mil casos diários, algo que, até agora, só tinha acontecido duas vezes: 1516 a 10 de abril e 1035 a 31 de março.

O número, avançado esta quinta-feira por Lacerda Sales, um dia depois de terem sido anotados 963 casos, confirma os receios avançados por António Costa, a 18 de setembro, quando o primeiro-ministro fez um apelo aos portugueses, temendo um aumento do número de infeções por covid-19 em Portugal.

Três semanas após esse alerta, e a sete dias do fim do período de contingência, Portugal volta a superar o patamar dos mil casos diários de covid-19, acentuando uma linha de crescimento das infeções no país, iniciada com números na ordem dos 900 casos diários várias vezes em setembro e agudizada em outubro, com três dias acima dos 900: 963 na passada sexta-feira, 944 ontem e 904 no domingo, um dia em que, por norma, são anotados menos casos, particularmente na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Confrontado pelos jornalistas no fim da cerimónia de assinatura dos acordos coletivos de trabalho no hospital de Braga, Lacerda Sales não confirmou os números revelados momentos antes, dizendo que não queria antecipar-se aos dados que serão revelados no boletim.

"Não me vou substituir ao boletim que sairá hoje. Dado ao crescimento sustentado a que temos assistido, é muito natural que possamos atingir os mil casos", disse Lacerda Sales, depois da cerimónia, aos jornalistas.

"Mas esse não é o nosso foco. O nosso foco é preparar os nossos serviços de saúde, os nossos internamentos, as nossas camas de cuidados intensivos para que o nosso serviço nacional de saúde não sofra pressão. Braga é um bom exemplo. Tem, hoje, 16 internados, dois em cuidados intensivos, numa cooperação com o Hospital de Guimarães, que tem uma maior pressão", acrescentou Lacerda Sales.

* com Augusto Correia

Outras Notícias