Barómetro

Portugueses estão entre os europeus com menor capacidade para pagar contas

Portugueses estão entre os europeus com menor capacidade para pagar contas

Os portugueses continuam a estar entre os europeus com menor capacidade para pagar contas dentro do prazo e a situação está a degradar-se, de acordo com o barómetro de Bem-Estar Financeiro de 2022, lançado pela Intrum. Portugal surge no 22.º lugar, numa tabela de 24 países europeus, apenas à frente da Hungria e da Grécia.

Já, em 2020, os portugueses encontravam-se nos últimos lugares da lista (19.ª posição), mas no ranking deste ano, as dificuldades para pagar as contas a tempo e horas agravaram-se. Os países com melhor capacidade de pagar as contas nos prazos acordados são a Alemanha, a Dinamarca e a Áustria, ocupando o 1.º, 2.º e 3.º lugares respetivamente.

A Intrum avalia o comportamento dos consumidores de 24 países europeus num barómetro anual. Se a capacidade de pagar contas dentro dos prazos se deteriorou, já o bem-estar financeiro terá melhorado em 2021. Tal como Espanha e Itália, Portugal viu a sua posição melhorar, um ano após o início da pandemia. No entanto, alerta aquela empresa líder na indústria de Serviços de Gestão de Crédito, "é importante salientar que muitos dos seus consumidores têm sido significativamente afetados pela crise e continuam a lutar para sobreviver, dado que a pandemia afetou de forma desigual os diferentes grupos de consumidores".

PUB

Ainda de acordo com o barómetro, Portugal ocupa o 6.º lugar do ranking no que toca a literacia financeira. Uma "posição muito satisfatória para Portugal, comprovando, assim, que a literacia financeira é um tema cada vez mais importante e abordado pelas famílias portuguesas". Nos primeiros três lugares, encontram-se a Finlândia, a Suécia e a Irlanda, respetivamente. A Itália e a França surgem no fim da tabela.

Quanto à capacidade de poupar para o futuro, os portugueses ocupam o 16.º lugar no ranking. Comparando com dados de 2020, está numa melhor posição (19.º lugar em 2020). Espanha aparece três posições acima de Portugal, ocupando o 13.º lugar do ranking. No topo encontram-se a Irlanda (1.º lugar), Países Baixos (2.º lugar) e a Suíça (3.º lugar).

A guerra causa incerteza entre os consumidores europeus, algo que já se fez sentir no comportamento das famílias, tal como na dificuldade em equilibrar os seus rendimentos mensais e despesas, frisa a Intrum. Além disso, por causa dos aumentos contínuos e acentuados dos preços, as famílias e as empresas começam a ter dificuldades em cumprir com as suas obrigações financeiras.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG