O Jogo ao Vivo

Pandemia

Portugueses sem teste à covid-19 retidos no aeroporto em Londres

Portugueses sem teste à covid-19 retidos no aeroporto em Londres

Dezenas de portugueses que regressavam, esta segunda-feira, ao nosso país em voos da TAP foram impedidos de viajar por não terem feito o teste à covid-19.

Os passageiros acabaram por ser surpreendidos no aeroporto, em Londres, com alterações às diretivas que tinham sido emanadas no domingo pelo Ministério da Administração Interna (MAI), segundo as quais apenas cidadãos nacionais ou legalmente a residir em Portugal poderiam entrar em território nacional, mediante a obrigação de apresentar comprovativo de realização de teste à covid-19 com resultado negativo. Na ausência desse comprovativo, o passageiro seria encaminhado para a realização do teste à chegada ao aeroporto, ficando em isolamento até à obtenção do resultado.

No aeroporto de Heathrow, em Londres, as regras definidas pelo MAI foram distorcidas, e dezenas de passageiros que iriam seguir em voos da TAP para Lisboa e para o Porto ficaram em terra. O empresário Tiago Fachada, de Vila Nova de Gaia, foi um desses casos. "Cheguei ao aeroporto às 5 horas, três horas antes da partida, e, ao contrário do que é habitual, havia seguranças fora do terminal. Barraram-nos a entrada no terminal e disseram que só poderíamos regressar a Portugal se tivéssemos o teste. Ninguém vinha preparado para esta situação, porque não era o que estava no site do Governo [português]", contou ao JN o passageiro, que descreve um cenário de "caos total" no aeroporto londrino. "Às seis e tal da manhã, deparei-me com pessoas que tinham perdido o voo que partiu para Lisboa", recorda.

Os contratempos foram-se sucedendo ao longo da manhã: "Disseram que o teste rápido não servia, e que tinha de ser o de 48 horas. Além disso, no centro de testes do aeroporto, cada teste está associado a um voo, mas o voo que tínhamos já tinha partido. E desde as 8 horas da manhã que a TAP não atendia o telefone. Foi inacreditável", condenou Tiago Fachada, referindo ter sido informado, por um passageiro que entretanto conseguiu contactar a companhia portuguesa, de que a situação teria tido origem "num erro de comunicação da TAP, que deu a informação errada ao aeroporto e fez toda a gente perder dois voos".

"Entretanto, alteraram essa regra e, agora, estou no fim de uma fila a ver se consigo um voo", relatou o empresário, por volta da hora do almoço. Em Gaia, a mãe de Tiago aguardava para saber se teria de ir buscar o filho a Lisboa, caso venha a conseguir voo. "Mudar as regras quando os jogadores já estão em pleno jogo não me parece correto", criticou Fernanda Castro.

PUB

Com o teste à covid-19 feito, o portuense João de Brito e Faro esteve entre os passageiros que conseguiram embarcar rumo ao Porto no voo onde Tiago também deveria ter seguido. Chegou ao aeroporto Francisco Sá carneiro antes das 11 horas, e indicou que o avião terá transportado "18 pessoas". "Estava a ser barrada a entrada a muita gente, antes de fazerem o "check-in". Ninguém embarcava se não tivesse feito o teste, mas não era essa a indicação que tinha sido dada. O que tinha sido dito é que podíamos vir", vincou.

Entretanto, o painel das chegadas do aeroporto do Porto apontava como "cancelado" o voo oriundo de Gatwick, em Londres, que deveria ter aterrado ao meio-dia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG