DGS

Primeiro caso suspeito de coronavírus em Portugal

Primeiro caso suspeito de coronavírus em Portugal

Está a ser avaliado o primeiro caso suspeito de infeção por novo Coronavírus (2019-nCoV) em Portugal, anunciou a Direção-Geral da Saúde.

"Este doente, regressado hoje da China, onde esteve na cidade de Wuhan (província de Hubei) nos últimos dias, já se encontra sob observação no Hospital de Curry Cabral em Lisboa, hospital de referência para estas situações", informou a Direção-Geral da Saúde (DGS), este sábado, em comunicado.

"A sua situação clínica está estável, aguardando-se os resultados das análises laboratoriais em curso, para atualização desta informação", acrescenta a nota, assinada pela diretora-geral Graça Freitas.

O doente internado "não é de nacionalidade portuguesa mas reside há muitos anos em Portugal", indicou o diretor do Serviço de Infecciologia do Hospital Curry Cabral, Fernando Maltez, em declarações à Sic Notícias.

Na sexta-feira, Graça Freitas indicou que as autoridades de saúde portuguesas já tinham avaliado três pedidos no âmbito do novo coronavírus, que não foram validados e, por isso, as pessoas "seguiram a sua vida normal". A diretora-geral da Saúde aconselhou ainda os portugueses a estarem atentos mas tranquilos.

Os sintomas deste coronavírus são mais intensos do que uma gripe e incluem febre, dor, mal-estar geral e dificuldades respiratórias, incluindo falta de ar.

O número de mortos aumentou para 56 na China e o novo vírus infetou 1975 pessoas no país, anunciou a Comissão Nacional de Saúde chinesa.

Durante o dia de sábado, 15 novas mortes foram registadas e 688 novas infeções foram identificadas. A Comissão Nacional de Saúde chinesa apontou ainda que 324 pacientes estão em estado grave.

Os primeiros casos do vírus, que recebeu o nome "2019 - nCoV", apareceram em meados de dezembro em Wuhan, centro da China, quando começaram a chegar aos hospitais pessoas com uma pneumonia viral. Percebeu-se que todas as pessoas trabalhavam ou visitavam com frequência o mercado de marisco e carnes de Huanan, nessa mesma cidade.

Ainda se desconhece a origem exata da infeção, mas terão sido animais infetados, que são comercializados vivos, a transmiti-la aos seres humanos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG