Saúde mental

Psicólogos tentam desmontar equívocos da depressão

Psicólogos tentam desmontar equívocos da depressão

A depressão não é algo "da nossa cabeça", "preguiça ou falta de vontade" nem "dura para sempre". Estes são alguns dos equívocos que a Ordem dos Psicólogos Portugueses esclarece no documento "Vamos falar sobre depressão" que lança, hoje, para assinalar o Dia Europeu da Depressão.

A Organização Mundial da Saúde descreve a depressão como o problema de Saúde mais frequente em todo o mundo e a principal causa de incapacidade. Em Portugal afeta cerca de 10% da população.

A Ordem explica que se trata de "uma experiência de sofrimento intenso e persistente na qual a pessoa sente-se muito infeliz e triste a maior parte do tempo, chora e/ou irrita-se facilmente, está abatida e desinteressada pelas suas atividades habituais".

As causas "são complexas" e podem estar relacionadas com "acontecimentos e circunstâncias de vida (presentes e passadas), bem como com o significado que as pessoas lhes atribuem e a forma como lhes respondem". Mas também "pode parecer que "apareceu do nada" e sentirmos que não temos uma explicação".

Crianças também sofrem

As crianças, sublinha a Ordem, também podem ter depressão. "Nos mais pequenos os sinais podem ser tristeza, choro, irritabilidade, comportamentos de dependência, dores sem explicação, recusarem ir para a escola ou perderem peso".

Para lidar com o problema é preciso "reconhecer" que se necessita de ajuda, fazer terapia e medicação, praticar autocuidado e reforçar a relação com família e amigos. Quem quiser ajudar alguém a lidar com a situação deve encorajar aqueles comportamentos, oferecer apoio, ser paciente e perseverante.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG