Ministros

Quem é Helena Carreiras, a primeira mulher a assumir a pasta da Defesa

Quem é Helena Carreiras, a primeira mulher a assumir a pasta da Defesa

Tem 56 anos, é doutorada em Ciências Sociais e Políticas e dirige o Instituto de Defesa Nacional (IDN) desde 2019. Com vasta carreira académica, Helena Carreiras tem-se centrado na investigação das questões de género no seio das instituições militares. Torna-se a primeira mulher a liderar o Ministério da Defesa, sucedendo a João Gomes Cravinho.

A nova governante considera que, na sequência da guerra na Ucrânia, a NATO conheceu um reforço "como há muito não víamos" e defende que a União Europeia deve aumentar o investimento em Defesa. No entanto, essa aposta deve ser feita "com e não contra" a Aliança, esclareceu, numa entrevista publicada esta terça-feira pelo DN.

A visão de Helena Carreiras coincide com a das vozes que, após a invasão da Ucrânia, têm pedido um reforço dos fundos destinados às Forças Armadas. Na mesma entrevista, a ministra recém-escolhida argumentou que a guerra na Europa deverá levar a que os portugueses demonstrem uma "maior compreensão" quanto à necessidade de aumentar o investimento no setor.

PUB

Nascida em Portalegre, em 1965, Helena Carreiras licenciou-se em 1987 pelo ISCTE, em Lisboa. Em 2004, doutorou-se em Ciências Sociais e Políticas pelo Instituto Universitário Europeu de Florença. É professora associada no ISCTE, nas áreas da Sociologia, Políticas Públicas e Metodologia de Pesquisa Social e investigadora do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-IUL).

Helena Carreiras é autora de 14 livros, 48 capítulos de livro e 27 artigos em revistas especializadas. A sua investigação académica tem incidido em temas como género e sociedade, a integração das mulheres no meio militar, as relações entre a sociedade civil e as Forças Armadas ou as políticas públicas de segurança e Defesa.

Entre as obras que já publicou, destacam-se títulos como "Mulheres nas Forças Armadas", "Género e Militares: As Mulheres nas Forças Armadas das Democracias Ocidentais", "Mulheres em Armas - A Participação Militar Feminina na Europa do Sul".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG