Covid-19

Risco muito elevado a extremo em 262 concelhos

Risco muito elevado a extremo em 262 concelhos

Relatório sobre a incidência a 14 dias mostra que 175 municípios pioraram.

A situação epidemiológica da covid-19 voltou a agravar-se em Portugal, onde 155 concelhos (mais 98) estão em risco extremo de contágio, com uma incidência igual ou superior a 960 casos por 100 mil habitantes cumulativos a 14 dias. Eleva-se para 262 municípios quando se considera também os 107 no grupo de incidência muito elevado (entre 480 e 959,9 casos).

Segundo o relatório da situação divulgado ontem pela Direção-Geral de Saúde (DGS), o quadro de contágios agravou-se entre os períodos de 23 de dezembro e 5 de janeiro e 30 de dezembro a 12 de janeiro, com um total de 175 concelhos a alterar para pior a classificação e 129 a mantê-la. Só quatro desceram.

Se compararmos os últimos dados com o período de 14 a 27 de dezembro, o agravamento é mais severo: há mais 130 concelhos em risco extremo e 32 em risco muito elevado.

Degradação diária

Quanto à evolução diária, o relatório, relativo aos registos ao dia de domingo, indicava mais 6702 casos, quebrando aparentemente o ciclo de cinco dias consecutivos com mais de dez mil contágios. Mas o número de vítimas mortais bateu a barreira dos nove mil (9028), com um novo máximo de óbitos num dia: 167.

A região Norte continua a ser a mais atingida, com 2109 novos casos, somando 258 317, ou seja, quase 46,5% do total de 556 503 em todo o país desde o início da pandemia, em março do ano passado. Lisboa e Vale do Tejo mantém-se em segundo lugar, com 2643 novos contágios, somando 186 706.

PUB

A situação diária tem-se degradado desde o dia 5, o que poderá traduzir um novo agravamento da incidência a 14 dias no próximo relatório. No período de 30 de dezembro a 12 deste mês, além dos 262 concelhos em estado muito elevado a extremo, há 16 no grupo de incidência elevado (240 a 479,9 casos por 100 mil habitantes) e 30 no grupo moderado (menos de 240).

Os municípios com a incidência mais elevada são: Cuba, com 5658 infetados por 100 mil habitantes, Mêda (4600) e Figueira de Castelo Rodrigo (4208). Os que mais subiram foram Cuba (+4461), Figueira de Castelo Rodrigo (+3599) e Alter do Chão (+2938).

Lisboa agravou o seu estado, passando de muito elevado para risco extremo, com 1039 casos/100 mil habitantes, mais 386 do que no período anterior. O Porto mantém-se como muito elevado, com 741 contágios, um aumento de 164.

Grande Porto

Nos principais concelhos em redor do Porto, destacam-se Gondomar, com uma incidência de 912 casos/100 mil habitantes, Valongo (842) e Matosinhos (755), todos muito elevadas.

Grande Lisboa

À volta de Lisboa, Loures (1059 casos) e Odivelas (1034) voltam ao risco extremo, que é muito elevado na Amadora (942).

Outras capitais

Das dez capitais de distrito, além de Lisboa, em risco extremo, destacam-se Viana do Castelo (2779), Setúbal (1597) e Beja (1516).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG