Segurança

Secretas vigiam guerra por controlo das polícias

Secretas vigiam guerra por controlo das polícias

Movimentos anónimos disputam poder nas polícias que estava entregue aos sindicatos. A influência da extrema-direita preocupa serviços de informação.

Um novo grupo anónimo denominado "Comissão de polícias pela dignidade e a dignificação dos polícias" (CPDDP) acusa o "Movimento Zero" (M0), também anónimo e que junta elementos da PSP e GNR, de estar ligado a "forças políticas de extrema-direita", de "criar desacatos e violência" e de colocar "polícias contra polícias". As críticas, já rebatidas pelo M0, juntam-se a acusações do presidente do Observatório de Segurança e das associações sindicais de polícias. Esta "guerra" pela influência nas forças de segurança, em vésperas de uma manifestação nacional agudizou a atenção das secretas à situação.

O JN confirmou a preocupação dos serviços de informação com estes movimentos "inorgânicos" que irão vigiar com especial cuidado, durante a manifestação marcada para o próximo dia 21, em Lisboa, pelas associações sindicais. Elementos conotados com a extrema-direita e atos violentos são o principal foco.

Leia mais na edição impressa ou na versão e-paper