Inovação

Startup do Norte desenvolveu o primeiro semáforo de praias da era covid-19

Startup do Norte desenvolveu o primeiro semáforo de praias da era covid-19

Smart City Sensor desenvolveu sistema que contabiliza veraneantes em tempo real sem invadir a privacidade das pessoas. A empresa tem uma dezena de autarquias interessadas em implementar a nova tecnologia.

É o mesmo sistema de radar bidirecional utilizado por baleias, golfinhos ou morcegos, explica Pedro Bastos, e pode ajudar-nos a ir à praia sem correr riscos, este verão. O gerente da Smart City Sensor adianta que o semáforo de praia contabiliza entradas e saídas da praia sem necessitar de câmaras, pelos sinais devolvidos aos sensores por cada pessoa que frequente o areal.

Com uma capacidade previamente definida, acende luz amarela quando atinge 80% da lotação - e avisa as autoridades, para poderem controlar os acessos, se assim entenderem - e passa a vermelho quando a praia está cheia. Os dados são enviados em tempo real para a "cloud" e podem ser trabalhados pelas equipas de prevenção da covid-19 ou acedidos pelo público em geral.

"Estamos a tratar de tornar essa informação acessível no nosso site, para que as pessoas possam consultar como está a sua praia antes de saírem de casa", adianta o gestor. "O Governo anunciou que a app da Agência Portuguesa para o Ambiente vai ter dados sobre a ocupação das praias, mas não sabemos como é que vão obter esses dados. Estamos disponíveis, se for caso disso, para fazer parcerias para este verão possa correr bem", acrescenta.

"Que saiba, é o único aparelho existente para o efeito, e nasceu porque lançámos o desafio à equipa, ainda antes de sabermos se seria possível ir à praia", conta Pedro Bastos. "Ainda tivemos algum debate por ser um semáforo, mas acabámos por concordar que seria o mais intuitivo", recorda.

A startup nascida há dois anos em Vila Nova de Gaia concebeu o sistema antes de se saber como seriam as férias de verão. Desde que se soube, na quinta-feira, que as praias terão de ter um sistema de semáforos, o agendamento de reuniões com as autarquias concretizou-se rapidamente.

"Temos já uma dezena de autarquias interessadas no nosso projeto, de Norte a Sul. Há duas semanas que lhes enviámos a apresentação, estiveram à espera que o Governo definisse as diretrizes para as praias, agora estamos em condições de instalar a tempo da próxima época balnear e temos bastantes interessados", desvenda Pedro Bastos.

A empresa dedica-se a projetos para cidades inteligentes, tendo instalados sistemas e sensores de controlo de tráfego, de "free wifi" e de ambiente em várias cidades do Grande Porto.