Covid-19

Vacinação dos 40 e 30 anos já estava prevista para junho

Vacinação dos 40 e 30 anos já estava prevista para junho

Governo admitiu nas redes sociais que antecipação seria só para Lisboa, mas acabou por corrigir a informação.

A intenção de começar a vacinar as faixas etárias a partir dos 40 e dos 30 anos no mês de junho tinha sido já anunciada pelo coordenador da task force para a vacinação contra a covid-19, Henrique Gouveia e Melo, a 20 de maio. O que faltava revelar eram as datas em que iria ocorrer: dia 6 para os maiores de 40 anos, dia 20 a partir dos 30. O coordenador diz que a "a vacinação será acelerada em todo o país", dada a chegada de mais vacinas. E que as regiões mais atrasadas na imunização, por terem população mais jovem, vão receber mais doses.

As datas em concreto foram divulgadas na terça-feira pelo secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, numa conferência de imprensa para dar a conhecer as medidas de reforço ao combate do aumento de infeções na região de Lisboa, mais concretamente na capital. Entre estas, o governante falou na "aceleração no processo de vacinação em Lisboa".

Questionado sobre se esta medida seria apenas aplicada nesta região, Lacerda Sales respondeu que "sim". Na ocasião, o governante disse que não tinha datas para a vacinação destas idades no resto do país. E que, se esta situação se verificasse noutra região, seria utilizado "o mesmo processo e a mesma metodologia".

O anúncio provocou de imediato críticas do presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, que exigiu "tratamento equitativo" para todo o país. "Não se podem alterar regras em função de circunstâncias desta natureza porque isto prejudica a unidade nacional", criticou.

Em declarações à Antena 1, Lacerda Sales contou que telefonou ainda na noite de terça-feira a Rui Moreira para "clarificar de imediato" aquilo que considerou ter sido uma "interpretação precipitada" do autarca. E atribuiu a responsabilidade aos jornalistas.

"Aquilo que o senhor secretário de Estado me disse é que tinha sido uma interpretação errónea da comunicação social. Fui ver [o] que estava no site do Governo e, neste caso, estou do lado da comunicação social. Se houve um equívoco, meu não foi, creio que não foi dos portugueses e não foi também da comunicação social", frisou o autarca aos jornalistas, no Porto.

PUB

A verdade é que a medida chegou a ser anunciada pelo Governo nas redes sociais, onde a primeira informação associava a vacinação dos 40 e 30 anos às medidas para Lisboa. Só mais tarde a informação foi corrigida e começaram a aparecer apresentações com nota de rodapé a explicar que a inoculação seria feita no país inteiro, tal como o JN noticiou.

Mais 1,4 milhões

Para esta e para a próxima semana está prevista a chegada de mais de 1,4 milhões de vacinas, adiantou fonte da task force. Serão cerca de 950 mil doses da vacina da Pfizer, 340 mil da AstraZeneca, 68 mil da Moderna e 88 mil da Janssen, esta última de toma única. À Rádio Comercial, Gouveia e Melo admitiu que os mais de 40 anos possam começar a ser vacinados antes de dia 6. "Quando uma faixa está a cerca de 60% dos vacinados temos de abrir a faixa de baixo", para manter o ritmo, disse.

50 anos vão poder autoagendar e matriz deve mudar

Na quinta-feira à tarde, as pessoas com mais de 50 anos devem poder começar a inscrever-se no portal do autoagendamento para receber a vacina contra a covid-19. A abertura a esta faixa etária foi avançada por Gouveia e Melo, coordenador da task force, ontem à noite na TVI. Questionado sobre se faz sentido rever a matriz de risco tendo em conta que a vacinação das pessoas mais vulneráveis está praticamente concluída, o vice-almirante considerou que "este é o momento certo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG