O Jogo ao Vivo

Covid-19

Vacinação suspensa no queimódromo. Pessoas vacinadas dias 10 e 11 vão ser contactadas

Vacinação suspensa no queimódromo. Pessoas vacinadas dias 10 e 11 vão ser contactadas

A vacinação no Queimódromo, no Porto, foi suspensa após ter sido detetada uma falha na conservação das vacinas. As pessoas inoculadas nos dias 9 e 10 vão ser contactadas.

"A vacinação no Queimódromo do Porto foi suspensa pela coordenação da task-force de vacinação para averiguação do cumprimento das normas e procedimentos em vigor", informou o grupo de coordenação da vacinação contra a covid-19 em Portugal.

"Esta decisão decorre de uma alegada falha na cadeia de frio", esclarece a task-force. Em comunicado, diz que "os utentes vacinados nos dias 10 e 11 de agosto serão contactados pelas entidades de saúde, até a próxima semana, no sentido de monitorizar a eficácia das vacinas inoculadas." Entretanto, em declarações aos jornalistas, o coordenador da task-force, vice-almirante Gouveia e Melo, corrigiu as datas, referindo que a falha pode ter afetado as vacinas administradas a 9 e 10 deste mês.

Apesar da falha, a task-force tranquiliza as pessoas vacinadas nos últimos dois dias no Queimódromo, no Porto. "Dadas as características das vacinas contra a covid-19, não é expectável que a falha ocorrida no processo de conservação tenha impacto na saúde dos utentes", informa o grupo coordenador da vacinação, sublinhando que o Infarmed está a acompanhar a situação.

Quaisquer reações adversas devem ser comunicadas ao portal RAM, adianta a "task-force", informando, ainda, que os "agendamentos previstos para este centro de vacinação serão reagendados para outros centros nas proximidades."

Os utentes poderão ainda esclarecer dúvidas sobre a vacinação no email vacina.covid@arsnorte.min-saude.pt, adianta a nota da "task-force".

PUB

Para averiguar a alegada falha na conservação das vacinas, "será solicitada uma investigação dos factos à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS)", esclarece a "task-force".

Esta não é a primeira vez que as falhas na conservação causam problemas no processo de vacinação contra a covid-19. Em abril, 3500 vacinas ficaram inutilizadas devido a falha de energia em Famalicão.

Meses antes, em janeiro, um acidente obrigou o hospital de Penafiel a destruir centenas de vacinas, devido a uma falha no sistema de refrigeração.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG