Newsletter Editorial

Sopro da FAP

Já imaginou num mesmo local e na mesma noite poder ouvir candidatos às eleições europeias, como Pedro Marques e Paulo Rangel, e cantores como Quim Barreiros e David Carreira? Podia acontecer numa ação de campanha, mas não é esse o caso. A suceder será na Queima das Fitas do Porto e pode ser encarado como um sopro da FAP para aproximar estudantes e políticos.

Seja ou não coroada de êxito, a iniciativa da Federação Académica do Porto tem um mérito: é inovadora. E se os candidatos às europeias tivessem a tentação de ir ao Queimódromo, para chegar a um universo de eleitores calculado em 25 mil por noite, não será, agora, por falta de convite que deixarão de ir. O desafio chegará, esta semana, pelas vias oficiais, a todos os cabeças-de-lista.

Já se sabe que basta evocar o nome "Queima das Fitas" para logo associar a farra e a copos. Mas a semana académica devia ser algo mais. E a FAP aproveitou bem o tema das europeias para criar um momento diferente. No Queimódromo, os políticos terão um espaço próprio, à margem do palco principal, para falar aos jovens universitários, faltando só acertar a hora da conversa: antes da música ou entre o primeiro e o segundo concertos. Cá por mim apostava na primeira solução, mesmo sabendo que na segunda hipótese poderia contar com uma plateia mais numerosa.

Todos se queixam do divórcio entre os eleitores e os protagonistas da vida política. As taxas de abstenção são elevadas. Entre os jovens, fala-se em 19%. Na votação para o Parlamento Europeu, os números até costumam ser agravados. Mais um motivo, portanto, para Pedro Marques, Paulo Rangel e companhia responderem "sim" ao repto da FAP. A organização está confiante. É aguardar e ver como vai correr. Até para tirar ilações para o futuro. Quem vai ouvir Quim Barreiros pode ouvir um cabeça-de-lista às europeias. Ou não?

Imobusiness