Opinião

Em defesa do SNS, sempre

Em defesa do SNS, sempre

O Partido Socialista é, com muito orgulho, o partido do Serviço Nacional de Saúde, pelo qual sempre se bateu e continuará a bater com toda a convicção. Foi o PS e António Arnaut - muito justamente consagrado como o "pai" do SNS - que estiveram na génese da sua consagração legal e da sua implantação em Portugal.

E é a defesa intransigente do SNS, de um serviço de saúde público de qualidade, universal e tendencialmente gratuito, que volta a estar na génese do projeto de uma nova Lei de Bases de Saúde, aprovado na semana passada pelo Governo e que passará agora à fase de discussão em sede parlamentar.

Esta é uma declaração de princípios que vale a pena fazer neste momento. E não pode haver ruído algum que ponha isto em causa.

O SNS faz parte do ADN do PS e esse é um património político que orgulha todos os socialistas portugueses. Mas há mais: o PS bate-se por um SNS de qualidade, quer esteja no Governo, quer esteja na Oposição. Porque esse é um combate de convicção e é um combate que vale a pena.

E isso, desde logo, nos distancia da Direita portuguesa, do PSD e do CDS, que são os responsáveis políticos pelo maior desinvestimento de que há memória no SNS durante a sua governação que se ufanava de "ir além da troika" e que agora choram verdadeiras "lágrimas de crocodilo" num momento em que o serviço - apesar do grande reinvestimento em curso, traduzido nos mais de oito mil profissionais contratados no decurso desta legislatura - ainda reflete o passado recente de absoluto abandono. Essas "lágrimas" escondem o verdadeiro desígnio histórico da Direita portuguesa, a privatização dos serviços de saúde a prestar aos portugueses. Não é esse, definitivamente, o nosso caminho.

O caminho é, pelo contrário, prosseguir o investimento em curso, sabendo que só a prazo isso se pode refletir em pleno na vida das pessoas e na qualidade dos serviços prestados. É este o sentido da discussão que se seguirá no Parlamento e na sociedade portuguesa. E este é o ponto de partida e de chegada para o PS: a defesa intransigente do Serviço Nacional de Saúde, um serviço público de qualidade.

*Secretária-geral adjunta do PS