Opinião

Não vale tudo, dr.ª Assunção

Não vale tudo, dr.ª Assunção

O Congresso do CDS confirmou o que há muito se antevia: ambição de Cristas e mais um ato do concurso pela liderança da Direita.

A ambição de ser primeira-ministra, a ambição de liderar a Direita, de liderar o Centro e de subir à primeira liga... Tanta ambição que a imagem que me ocorreu foi a do Castelo no Ar de Escher (cuja exposição em Lisboa se recomenda a todos...), em que a menina tenta alcançá-lo. Imagens à parte, vamos ao que interessa.

Quem não se lembra que Assunção Cristas foi ministra do Governo (da Direita) que mais empobreceu os portugueses? Que convidou os jovens a emigrar? Que cortou salários e pensões? Que assinou o mais brutal aumento de impostos da história da Democracia em Portugal? Que destruiu postos de trabalho? Que cortou a eito e sem critério nos serviços públicos? Ouvi-la falar de ambição para o país não pode deixar de arrepiar os que têm memória, porque enquanto governante a marca que deixou foi a destruição do Estado social e o empobrecimento das famílias e do país.

Mas se algo me chocou, sim chocou, foi o final do seu discurso. Depois de frases feitas, sem nenhuma proposta ou qualquer amostra, pequenina que fosse, de uma visão inovadora para o país, eis - de novo - a exploração, deplorável, dos sentimentos, da tristeza e da tragédia que os incêndios de 2017 representaram para todo o país. A verdade é que a presidente do PP foi - ela própria - responsável, durante quatro anos, pelo setor das florestas. Nunca se lhe ouviu uma preocupação, nunca fiscalizou o não cumprimento da lei para a limpeza das matas (em vigor desde 2006!!!), nunca se viu ação numa reforma que se impõe, há muito, na nossa floresta. As alterações climáticas não começaram agora e exigem uma resposta estruturada para o futuro, mas quando os sinais eram evidentes, perante a seca de 2012, a resposta de Cristas foi (lembram-se?) esperar um milagre, como se a vida das pessoas dependesse de milagres! Sempre repudiei quem utiliza os sentimentos de dor das pessoas para tentar ganhar um voto que fosse. É lamentável que haja quem o faça, como é o caso evidente da líder do PP.

Não, não vale tudo, dr.ª Cristas e os portugueses têm memória. Saberão, na altura própria, deixá-la a contemplar o Castelo no Ar. Tão vazio de propostas como o PP e a sua presidente.

PS: Não deixa de ser curioso que Cristas tenha proclamado não voltar a falar da conciliação familiar até que pergunte aos homens o mesmo, estamos de acordo, mas para ser consequente era preciso dar sinais. O sinal foi ao contrário, os novos eleitos subiram ao palco e, pasme-se, não se vislumbravam mulheres... Que coerência!!!

* SECRETÁRIA-GERAL-ADJUNTA DO PS

ver mais vídeos