Opinião

Fio condutor

A época está fechada e é por isso este o momento de pensar no futuro. É certo que ainda falta a final da Taça, mas não se antevê um confronto muito exaltante, considerando até o momento do despromovido Tondela.

Para o Benfica, que ficou nestas duas últimas épocas, repetidamente, no terceiro lugar, os tempos serão, obrigatoriamente, de mudança. A distância na classificação para o primeiro e os recordes pontuais que este conquistou, não é o que mais impressiona. Considerando até a atuação do VAR ao longo da temporada e o facto de o novo campeão ter jogado, quase um terço dos jogos, contra adversários reduzidos a dez.

Pensar no futuro, para o Benfica, é sobretudo reencontrar um fio condutor, ou um eixo central. Sempre considerei que num clube como o Glorioso esse eixo deve assentar na ligação entre o presidente, o treinador da sua escolha e o capitão de equipa. Ou seja, o jogador que representa a mística do clube e responde em nome do balneário. Esta ligação é essencial e é determinante para o sucesso. Foi o que falhou nestas duas últimas épocas. Não é por acaso que, mais de meio século depois, os adeptos continuam a cantar "tu és o capitão Coluna".

A ligação: presidente-treinador-capitão é mais importante que os vários cargos, por importantes que sejam, de direção desportiva, comunicação ou até do departamento de futebol. Tudo isso é muito importante, mas o eixo sobre o qual gira a roda é este e centra-se no futebol profissional. Num clube como o Benfica, podemos elogiar o ecletismo e as conquistas em modalidades. Mas, sem títulos no futebol profissional, nunca nada estará bem. Por isso, é por aí que é preciso avançar. Esse é o fio condutor.

Positivo: Henrique Araújo, a marcar dois golos e a dizer que é preciso contar com ele. O Rio Ave e o Casa Pia.

Negativo: A B-SAD é cada vez mais um projeto falhado, sem plantel à altura, sem estádio e sem adeptos. O Tondela.

*Adepto do Benfica

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG