100 macacos no sótão

Só quero que o tempo passe... O perigo de ceder ao aborrecimento

Só quero que o tempo passe... O perigo de ceder ao aborrecimento

No cenário atual, a saúde mental corre maiores perigos: é inevitável e até protetor (falarei disso em breve) ter pensamentos negativos e emoções difíceis. É fundamental trabalhar diariamente num ciclo saudável e eficaz de pensamentos, emoções e comportamentos.

Mas como? Evitando ocupar o tempo livre excessivamente de forma passiva (ver televisão, ver vídeos ou passar o dedo no ecrã do telemóvel) sem qualquer intuito, tempos sem fim, "só à espera que o tempo passe". As emoções e os pensamentos difíceis encontram mais espaço para "falar", o motor motivacional enfraquece, reforçando a passividade e esta gera mais espaço para pensamentos e emoções dolorosas, criando-se uma espiral negativa.

Em alternativa, ocupar o tempo com atividades práticas e criativas: pintura escrita, dança, culinária, bricolage e exercício físico contribui para uma efetiva e eficaz diminuição do stress e ansiedade, permitindo ao cérebro focar-se no aqui e no agora, com maior eficácia do que se estiver parado, apenas a assistir. Consequentemente, geram-se emoções mais agradáveis e pensamentos alternativos e mais positivos.

Uma estratégia eficaz para um cérebro sobrecarregado emocionalmente, menos concentrado e disponível, menos capaz de se motivar, de se animar e gerar boas emoções e pensamentos. É um circuito muito eficaz de mudança: modificando as nossas ações (comportamento), influenciamos as nossas emoções e pensamentos e, assim, conseguimos ir alterando o ciclo destes três componentes nesta estranha forma de vida.

Só se consegue não ficando somente a assistir, mudando de canal ou de story. Substituir a passividade, pela atividade.

Pela saúde mental, criar, experimentar. Aprender e ensinar.

Aprender: cada elemento escolhe uma atividade simples que nunca tenha feito (cozinhar; pintar; costurar) e durante a semana vai pô-la em prática no tempo livre.

Ensinar: cada elemento vai ensinar algo aos restantes que seja do seu conhecimento e já esteja aprendido (pode ser dobrar meias, coser, jogar um jogo, uma dança, uma história, um truque de magia, mexer numa aplicação móvel ou jardinar).

Dica: mesmo que o pensamento vos diga que não apetece e se sintam desmotivados, experimentem fazer.

*Psicóloga clínica

www.psicologadosmiudos.com

Outras Notícias