Opinião

Vinte anos depois, o Bloco na vereação do Porto

Vinte anos depois, o Bloco na vereação do Porto

O Bloco de Esquerda teve um mau resultado nestas eleições autárquicas. O que parece ser óbvio, para já, é que a polarização PCP-PS, ou PS-Direita afastou o Bloco de importantes vereações no país.

Dos resultados de ontem sobressaem ainda duas conclusões, uma mais estrutural, e outra de natureza conjuntural. A primeira é que a Direita atravessa de facto um processo de reconfiguração e radicalização. Onde o Chega sobe, o PSD desce, e a tentação laranja é a de imitar os métodos da extrema-direita, como bem se viu na candidatura de Suzana Garcia à Amadora. A segunda é que o PS foi penalizado pela estratégia frenética de António Costa, que quis fazer das autarquias uma extensão da governação e dos fundos públicos do PRR um argumento de vitória. O tiro saiu pela culatra e o resultado foi o atropelo de candidaturas importantes, como a de Fernando Medina em Lisboa.

Dito isto, há uma razão para celebrar. No Porto, o improvável aconteceu e Rui Moreira perdeu a maioria absoluta para governar a cidade. A eleição de Sérgio Aires, o primeiro vereador do Bloco no Porto, foi mesmo o melhor antídoto contra a soberba e a arrogância de quem, depois de pedir poder absoluto na Câmara e na Assembleia Municipal, terminou a noite a improvisar cenários que não preparou.

A meu ver, três fatores contribuíram para este resultado. Em primeiro lugar, a forma autoritária com que Rui Moreira respondeu à crise pandémica e social na cidade evidenciou a bazófia de quem afirma bater o pé à capital mas deixa o povo do Porto à mercê da desigualdade e da pobreza.

Em segundo lugar, a opção do PS por uma fraca oposição a Rui Moreira no executivo municipal, ao longo dos últimos quatro anos, lançou o partido numa fuga em frente que acabou em quebra eleitoral.

Por fim, o facto incontornável: o presidente reeleito pode perder o mandato nos próximos meses, caso se confirme na justiça o crime de prevaricação pelo qual é acusado no caso Selminho.

Veremos agora que alinhamentos se constroem no Porto. Do Bloco, o Porto sabe que cumpriremos a nossa palavra: os nossos eleitos serão uma garantia de escrutínio e, sempre, clara oposição aos executivos de Direita.

PUB

*Deputada do BE

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG