Opinião

Família grande, país pequeno

Família grande, país pequeno

Há debates que se alimentam de uma confrontação que, parecendo salutar, encerra uma intolerância cega perante o óbvio. Vejamos os efeitos da controvérsia em torno da consanguinidade entre membros do Governo.

Aos defensores desta tendência do socialismo pós-moderno não lhes passa pela cabeça que haja quem ouse questionar a endogamia política do Executivo, transformado numa PME de familiares e amigos. As pessoas não podem ser prejudicadas pelos genes, ripostam. Certo. Mas, na amplitude deste argumentário falho, acabam por ser beneficiadas.

Porque é o que está a acontecer quando olhamos para as reuniões do Conselho de Ministros e mais ainda quando nos servimos da lupa para percebermos como funciona, numa escala mais alargada, a máquina pública de distribuição de cumplicidades políticas. Marido, mulher, irmão, pai, filha. Está lá tudo. Estão lá todos. Ora, em que país do Mundo democrático é que este denso entrosamento familiar não era questionado? Que realidade paralela é essa onde valores como o da imparcialidade, da ética, do conflito de interesses e da ausência de sentido crítico não eram usados para demonstrar quão errada é esta prática?

O que o PS está a fazer com uma impunidade olímpica é, infelizmente, um vício derramado ao longo da nossa história democrática. É o reflexo da ação de uma família demasiado grande, excessivamente circunscrita a um palco geográfico de poder, a mover-se num país demasiado pequeno. A lição a tirar (ingenuidade minha) não é a de que há uma escola profissional de formação de políticos que se impõe com naturalidade e mina tudo o resto, mas, sim, a de que somos incapazes de abrir espaço para valorizar todos aqueles que, não partilhando um apelido, são arredados da esfera de influência, mesmo sendo competentes.

Às cavalitas do Estado, a casta vence sempre. Diminuindo, de entre os seus, os que não precisavam dela para ascender. E expulsando os que, não sendo gerados no seu ventre, lamentam amargamente o dia em que recusaram preencher a ficha de militante do partido.

*Diretor-adjunto

Imobusiness